Mercados Monese: queremos oferecer aos nossos clientes todos os serviços de um banco

Monese: queremos oferecer aos nossos clientes todos os serviços de um banco

Norris Koppel garante que a Monese substitui um banco, à exceção do crédito, e prevê continuar a crescer no mercado nacional. Equipa em Portugal vai triplicar até ao final do ano.
Monese: queremos oferecer aos nossos clientes todos os serviços de um banco
David Cabral Santos
Patrícia Abreu 16 de abril de 2019 às 20:19

Oferecer todos os serviços que um banco pode disponibilizar aos seus clientes. É este o objetivo da Monese. O líder e criador da fintech, Norris Koppel, admite apostar no lançamento de outros serviços, como o crédito e outros produtos financeiros, de modo a garantir que a plataforma pode substituir de forma plena o banco.

 

"Quando começámos quisemos dar acesso a contas bancárias e cartões em todo o mundo. Mas queremos assegurar que os nossos clientes conseguem ter todos os serviços que têm junto de um banco, como crédito, poupança, produtos de investimento e soluções de gestão de ativos", explicou Norris Koppel (na foto), à margem da visita oficial da presidente da Estónia ao escritório da Monese, em Lisboa. O CEO da fintech, que permite abrir uma conta em 120 segundos, explicou que esta estratégia pretende garantir o bem-estar financeiro dos seus clientes.

 

Com cerca de 10 mil clientes em Portugal, a Monese espera continuar a crescer a um ritmo rápido. "A nossa taxa de crescimento é de três vezes por ano e devemos acelerar este ano", acrescentou o CEO da Monese, adiantando que os seus clientes são maioritariamente pessoas que se dividem entre países ou vivem em Portugal, mas são de outros locais.

 

"Os nossos clientes têm entre 30 e 35 anos, são pessoas que estão noutro país. Pessoas como eu que estão em Lisboa, Londres, Tallinn", explicou, acrescentando que a maioria das pessoas com conta na Monese recebe o seu ordenado a partir da plataforma.

 

Equipa vai triplicar

 

Depois de Tallinn e Londres, Lisboa tornou-se, há seis meses, a terceira cidade a fazer o suporte comercial e o desenvolvimento de software da Monese. Norris Koppel justifica esta escolha com o potencial estratégico do país para a fintech, sobretudo devido ao talento que existe no país.

 

Já em termos de dimensão, o escritório de Lisboa conta atualmente com 16 pessoas, mas o objetivo é aumentar este número até ao final do ano. "Tencionamos triplicar a equipa até ao final do ano", adiantou o CEO da Monese.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI