Banca & Finanças Moody´s espera pelos resultados do Novo Banco para decidir se corta rating dos depósitos

Moody´s espera pelos resultados do Novo Banco para decidir se corta rating dos depósitos

Só depois de o Novo Banco publicar os resultados de 2017 é que a agência decidirá sobre se desce ou não o rating dos depósitos da instituição.
Moody´s espera pelos resultados do Novo Banco para decidir se corta rating dos depósitos
Jorge Paula/Correio da Manhã
Nuno Carregueiro 22 de fevereiro de 2018 às 12:51

A agência de notação financeira Moody’s anunciou esta quinta-feira, 22 de Fevereiro, que decidiu prolongar o período de revisão do rating que atribui aos depósitos de longo prazo do Novo Banco devido à falta de visibilidade das contas da instituição.

 

Assim, só depois do banco liderado por António Ramalho publicar as contas de 2017, o que deverá acontecer nas próximas semanas, é que a Moody’s decidirá se altera o "rating" dos depósitos, que está em revisão para possível descida.

 

A Moody´s atribui aos depósitos de longo prazo do Novo Banco um "rating" de Caa1, o que corresponde ao sétimo nível de lixo. Ainda assim, situa-se um nível acima do "rating" que atribui à dívida de longo prazo do banco, que se situa em Caa2, com "outlook" positivo. 

 

Numa nota publicada esta quinta-feira, a Moody’s diz que "espera concluir a revisão do ‘rating’ nas próximas semanas, assim que as contas de 2017 do Novo Banco foram publicadas".

 

O Negócios noticiou esta semana que o Novo Banco deverá apresentar prejuízos entre 1,6 e 1,8 mil milhões de euros no exercício do ano passado.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Basta 22.02.2018

Esperemos que o contribuinte não tenha de indemnizar mais "lesados"

pub