Automóvel Mustang quer vencer a Tesla com um elétrico de 40 mil euros

Mustang quer vencer a Tesla com um elétrico de 40 mil euros

Nem o clássico Mustang foge à tendência para a eletrificação automóvel. O Mach-E chega no outono de 2020 para tentar destronar a Tesla, num investimento estimado pela Ford neste segmento de 10 mil milhões de euros.
Patrick T. Fallon/Bloomberg Ford Ford Reuters Reuters Reuters Reuters Ford Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters
Negócios com Bloomberg 18 de novembro de 2019 às 15:03

Conhecido por ser um carro desportivo, o famoso modelo da Ford torna-se, agora, também utilitário. Ou SUV (Sport Utility Vehicle). O anúncio oficial do novo Mustang Mach-E foi feito este domingo, 17 de novembro, no Los Angeles Auto Show.

 

De acordo com a Bloomberg, este "crossover" movido a bateria é a arma da marca norte-americana como "alternativa aos modelos Tesla, que dominam o mercado de veículos elétricos".

 

Ron Heiser, engenheiro responsável pelo Mach-E, explicou à agência de informação que os motores elétricos do novo Mustang estarão "entre as rodas à frente e atrás, que, combinados com baterias configuradas como um ‘skate’ em baixo do carro, criam uma distribuição de peso uniforme". "Isso permite que o carro ande baixo e abrace a estrada como um verdadeiro Mustang", garante.

 

O modelo eletrificado do "muscle car", com uma bateria com bateria de 98,8 kWh, e autonomia até aos 600 quilómetros, está a ser construído no México e o custo de venda começará nos 43.895 dólares (cerca de 39.700 euros).

 

No entanto, em entrevista à Bloomberg, Jim Hackett, CEO da Ford, diz que o preço poderá ficar nos 30 mil dólares (27 mil euros) quando os subsídios para carros elétricos entrarem em vigor nos Estados Unidos.

 

O responsável acredita que o Mach-E terá lucro imediato, ainda que "isso surpreenda muitas pessoas porque os elétricos não tem histórico de ganhar dinheiro". "Este vai ter", assegura Jim Hackett.

 

Lançado em 1964, o Mustang é o único carro que a Ford não largou quando, no ano passado, decidiu abandonar o tradicional negócio de automóveis de passageiros. Em 55 anos, foram vendidas mais de dez milhões de unidades e as versões a gasolina vão continuar a ser produzidas.

 

Além do Mustang, que chega ao mercado no outono de 2020, também o F-150 deverá ser eletrificado, sendo que o objetivo da Ford é investir 11,5 mil milhões de dólares (cerca de 10 mil milhões de euros) no lançamento de 40 modelos elétricos e híbridos até 2022.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI