Banca & Finanças Novo Banco vende carteira de malparado de 3 mil milhões à Davidson Kempner

Novo Banco vende carteira de malparado de 3 mil milhões à Davidson Kempner

O banco liderado por António Ramalho prepara-se para concluir a venda da carteira de crédito malparado de 3 mil milhões de euros. De acordo com a Bloomberg, o vencedor da corrida é a Davidson Kempner.
Novo Banco vende carteira de malparado de 3 mil milhões à Davidson Kempner
Rita Atalaia 04 de setembro de 2019 às 14:44
O Novo Banco já escolheu o comprador da sua carteira de crédito malparado de 3 mil milhões de euros, uma das maiores de sempre transacionada em Portugal. De acordo com a Bloomberg, citando fonte próxima do processo, o vencedor foi a Davidson Kempner.

O fundo norte-americano acabou por ficar à frente numa corrida à carteira, conhecida por "Nata 2", que contou também com a participação da Bain Capital. Ambos avançaram com propostas vinculativas, conforme foi avançado pela agência de notícias no mês passado.

A venda, esclarece ainda, citando duas fontes, deverá ficar concluída ainda esta semana. Contactados pela Bloomberg, representantes da Bain e da Davidson Kempner não quiseram comentar. Da parte do Novo Banco, ainda não foi possível obter um comentário. 

Não são referidos valores, mas em julho a revista Sábado que os dois fundos internacionais que apresentaram propostas para comprar a carteira de crédito malparado ofereciam entre 200 e 300 milhões de euros por estes ativos. A este valor corresponde um desconto entre 91% e 94%.

De acordo com a Sábado, nesta carteira de crédito está a dívida da Ongoing, grupo falido que foi liderado por Nuno Vasconcellos, e da Sogema do milionário Bernardo Moniz da Maia.


O banco liderado por António Ramalho tem vindo a reforçar as vendas de crédito malparado, no sentido de "limpar" o legado deixado pelo Banco Espírito Santo. Tal como o Negócios avançou no mês passado, o Novo Banco concluiu entretanto a venda da carteira que ficou conhecida como Sertorius. Em causa estavam cerca de 400 milhões de euros em imóveis, que passaram para as mãos do fundo Cerberus.

Numa entrevista publicada em julho pela Reuters
, o "chairman" do Novo Banco, Byron Haynes, disse que o interesse dos investidores nestas duas carteiras era "muito alto". E que ajudariam o Novo Banco a reduzir para menos de metade o rácio de crédito malparado, atingindo os 10%. 

O rácio de Non-Performing Loans (NPL) caiu para 20,7% até junho, em comparação com 27,6% registados nos primeiros seis meses do ano passado.

(Notícia atualizada às 15:05 com mais informação)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI