Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Novo diário de economia «OJE» faz parceria com britânico «City AM»

O novo diário de economia e negócios, dirigido por Álvaro Mendonça, irá chamar-se «OJE» e estabeleceu uma parceria comercial com o jornal londrino «City AM», uma publicação dirigida às empresas da capital britânica e detida pelos quadros das próprias comp

Lúcia Crespo lcrespo@negocios.pt 25 de Maio de 2006 às 12:53
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O novo diário de economia e negócios, dirigido por Álvaro Mendonça, irá chamar-se «OJE» e estabeleceu uma parceria comercial com o jornal londrino «City AM», uma publicação dirigida às empresas da capital britânica e detida pelos quadros das próprias companhias. O acordo prevê a entrada do «City AM» na estrutura accionista do diário português.

"O City AM, dirigido a quadros médios e de topo, foi lançado há 10 meses em Londres e tem hoje uma circulação de 100 mil exemplares. Este jornal vai funcionar como nosso consultor na área gráfica e possibilitar a troca de conteúdos", explicou hoje, em conferência de imprensa, Tiago Cortez, administrador-delegado da Megafin, sociedade que detém o "OJE".

O modelo de negócio do novo título, participado maioritariamente pela MNF Capital, uma "private equity" formada por 36 accionistas portugueses que investem sobretudo no sector financeiro, passa pela captação de assinaturas junto de empresas concentradas na Grande Lisboa. Taguspark, Parque Expo, Oeiras Parque são alvos.

Os conteúdos do novo título serão determinados pelas conclusões dum estudo, que está a ser elaborado pela Novadir, da Marktest, junto de multinacionais, empresas de tecnologia, sociedades de advogados e de auditoria.

Além dos assinantes, o jornal pretende captar as grandes marcas anunciantes. "Marcas de grande consumo, vestuário, cosméticos, instituições financeiras", especifica Tiago Cortez.

À conquista das mulheres

"Pretendemos acrescentar mercado e não roubar leitores aos jornais económicos existentes. Quem lê o ‘City AM’ não deixou de ler o ‘Financial Times’. O jornal conseguiu captar outros leitores. É isso que pretende o título português. Ir ao encontro de públicos não habituais, em especial, das mulheres. "Os jornais económicos escrevem muito para os homens", afirmou Álvaro Mendonça.

"Uma marca urbana, ‘cool’ e diferente" é o objectivo dos responsáveis pelo projecto, que pretendem romper com aquilo a quem chamam "conservadorismo" dos jornais económicos em Portugal.

O jornal, de formato tablóide, será impresso totalmente a cores pela gráfica Mirandela, terá, no início, 24 páginas e um corpo redactorial de 15 pessoas. Na direcção está Álvaro Mendonça e na chefia de redacção está João Bugalho.

Um milhão a investir

A ser lançado este ano, o novo diário implica um investimento inicial de um milhão de euros. O "breakeven" operacional está previsto para o segundo ano de actividade.

Outras Notícias