Empresas O sabão azul e branco já tem 150 anos e continua a vender 6 mil toneladas

O sabão azul e branco já tem 150 anos e continua a vender 6 mil toneladas

É quase uma história de sobrevivência. Resistiu aos detergentes em pó, líquidos, em gel e em pastilhas. Assistiu à extinção dos velhos tanques de pedra e perdurou além dos glutões. Discreto por natureza, quase nunca publicitado, o sabão azul e branco acaba de ganhar um novo fôlego.
Elisabete de Sá 23 de setembro de 2009 às 00:01
É quase uma história de sobrevivência. Resistiu aos detergentes em pó, líquidos, em gel e em pastilhas. Assistiu à extinção dos velhos tanques de pedra e perdurou além dos glutões. Discreto por natureza, quase nunca publicitado, o sabão azul e branco acaba de ganhar um novo fôlego. A "culpa" é da ministra da Saúde, Ana Jorge, que recentemente o aconselhou como um possível substituto dos desinfectantes para as mãos que visam prevenir a propagação do vírus da Gripe A.



O produto é tradicional, mas continua a vender. A Sovena, empresa da Nutrinveste detida pelo grupo Jorge de Mello, fabricou seis mil toneladas de sabão azul e branco em 2008, que se traduziram em vendas de seis milhões de euros. Dois terços do fabrico é para exportação, sendo Angola o principal destino. Para o mercado nacional, foram canalizadas duas mil toneladas. A empresa fabrica ainda sabão azul e branco de marca própria para a cadeia alemã Lidl.






logo_empresas