Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Optimus garante maior rentabilidade pelo corte nos custos

A Optimus apresentou esta terça-feira, 5 de Fevereiro, resultados. Em 2012, lucrou 88,1 milhões de euros. O volume de negócios caiu, mas a rentabilidade aumentou.

Alexandra Machado amachado@negocios.pt 05 de Fevereiro de 2013 às 18:35
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

A Optimus realizou, em 2012, um volume de negócios de 720,7 milhões de euros, uma queda de 4,5% face ao ano anterior, conseguindo, no entanto, crescer a rentabilidade. O EBITDA (“cash flow” operacional) atingiu os 242,6 milhões de euros, mais 4,7% que em 2011.

 

A Optimus anunciou esta terça-feira, 5 de Fevereiro, os resultados referentes a 2012, o que acontece separado da “holding” Sonaecom que só irá apresentar as suas contas em Março. O processo de fusão em que está envolvida levou a operadora da Sonaecom a apresentar contas isoladamente.

 

“A Optimus melhorou significativamente a sua rentabilidade, graças ao programa de eficiência que tem vindo a implementar com vista a um modelo operativo mais flexível e eficaz, num movimento de antecipação que lhe permite estar hoje na linha da frente”, diz a empresa, em comunicado.

 

Em termos consolidados, o volume de negócios de 720,7 milhões de euros é realizado pelas receitas de serviço (687,8 milhões de euros), que caíram 4,9%, devido à queda das receitas de clientes. Estas quebraram 7,2%, não tendo sido compensadas pelas receitas de operadores que subiram 4,1%.

 

A empresa assume ter sido “afectada pelo ambiente de austeridade que se vive em Portugal e que continua a provocar um impacto negativo nos níveis de consumo, e pelas tarifas reguladas (tarifas de terminação móvel e de ‘roaming’)”.

 

Apesar da queda de 4,5% nas receitas, a empresa conseguiu subir a rentabilidade em 4,7%, por ter conseguido uma queda de 8,4% nos custos. Em particular nos custos com pessoal que caíram 11% e nos custos comerciais que foram reduzidos em 15,8%.

 

A margem EBITDA da operadora atingiu os 33,7%. Depois do impacto dos resultados financeiros que subiram por via do maior endividamento e das taxas de juro, os lucros da Optimus atingiram 88,1 milhões de euros, um aumento de 22,2%.

 

No negócio móvel, a empresa fechou o ano com uma queda de 7,5% no volume de negócios, mas também conseguiu reduzir os custos em 14,4%. O que significa que o EBITDA neste negócio subiu 4,2% para 227,8 milhões de euros. “Os níveis de concorrência no mercado, nomeadamente no segmento jovem, com o lançamento de planos tarifários agressivos, favorecendo o efeito de rede, também marcaram negativamente a evolução das receitas no mercado móvel nacional”.

 

A Optimus tinha no final de 2012 um total de 3,57 milhões de clientes móveis, menos 1,9%, o que a empresa atribui ao impacto do programa e-escolas. A receita média por cliente voltou a cair para 12 euros. No entanto, a Optimus assume uma quota de 43,3% no tráfego de dados.

 

Já no negócio fixo, a Optimus realça o desempenho do mercado empresarial que permitiu, pela primeira vez desde 2008, um crescimento nesta área ao nível das receitas. O volume de negócios subiu 1% para 222,5 milhões de euros. O mercado grossista, no qual a empresa vende capacidade a outros operadores, também ajudou este desempenho.

 

O EBITDA do segmento fixo subiu, assim, 13,6% fixando-se em 14,8 milhões de euros.

 

Para 2013, a Optimus antecipa um ano “ainda mais difícil”, ainda que acredite que “serão dados passos estruturais para eliminar as práticas concorrenciais desleais no mercado móvel, que tanto têm prejudicado o consumidor e inibido o desenvolvimento e a sustentabilidade do mercado”. 

Ver comentários
Saber mais Sonaecom Optimus telecomunicações
Outras Notícias