Banca & Finanças PCP pede ao BCE actas não divulgadas pelo Banco de Portugal

PCP pede ao BCE actas não divulgadas pelo Banco de Portugal

Os comunistas querem as actas das reuniões do conselho de supervisão e conselho de governadores do BCE, que decorreram a 16 de Dezembro, quatro dias antes da resolução do Banif. 
PCP pede ao BCE actas não divulgadas pelo Banco de Portugal
Miguel Baltazar/Negócios
Diogo Cavaleiro 06 de abril de 2016 às 18:55

O Partido Comunista Português quer que o Banco Central Europeu envie as actas de reuniões de vários dos seus órgãos, em que foram tomadas decisões sobre o fim do Banif. O grupo parlamentar "assegura o dever de sigilo".

 

No requerimento entregue esta quarta-feira, 6 de Abril, os comunistas referem-se especificamente a duas reuniões distintas, que ocorreram a 16 de Dezembro de 2015: a do conselho de governadores e a do conselho de supervisão do BCE.

 

O conselho de governadores do BCE, que junta os vários representantes dos bancos centrais e onde esteve o governador Carlos Costa, decidiu a suspensão do estatuto de contraparte ao Banif, colocando a sua liquidez sob pressão.

 

Já o conselho de supervisão do BCE, em que participou o antigo administrador António Varela, optou pela não criação de um banco de transição para o Banif – levando a que a resolução fosse feita com venda da actividade ao Santander Totta.

 

Estes documentos tinham sido solicitados ao Banco de Portugal mas o regulador português recusou entregá-los para já, por questões de confidencialidade, por ser necessária a autorização dos restantes membros das reuniões. Por isso, o PCP pede directamente ao BCE os documentos.

 

No documento, o grupo parlamentar, que na comissão de inquérito tem sido representado pelo deputado Miguel Tiago (na foto), indica que a "comissão assegura o dever de sigilo relativo a informações prestadas".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI