Transportes Pedro Marques recusa integração da EMEF na CP

Pedro Marques recusa integração da EMEF na CP

O ministro do Planeamento põe de parte a possibilidade de a EMEF ser reincorporada na CP devido ao risco “de sermos acusados de ajudas de Estado”, colocando em causa “centenas de postos de trabalho”.
Pedro Marques recusa integração da EMEF na CP
Miguel Baltazar
Maria João Babo 15 de fevereiro de 2018 às 17:43

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, recusou esta quinta-feira, 15 de Fevereiro, no Parlamento a integração da Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário (EMEF) na CP devido aos riscos de o país ser acusado de ajudas de Estado.

Na interpelação ao Governo da iniciativa do PCP, sobre as necessidades de investimento nos serviços públicos, nomeadamente nos sectores da saúde, educação, transportes e comunicações, Pedro Marques afirmou que a integração da EMEF na CP "determinaria um risco enorme da qualificação dos aumentos de capital da CP como ajudas de Estado, que podia pôr em causa toda a empresa".

"Seriam centenas de postos de trabalho em risco", afirmou o governante, acrescentando que "não podemos querer concorrer em mercado e correr risco de sermos acusados de ajudas do Estado".

"Não queremos avançar com opções tão arriscadas como uma situação destas", disse ainda Pedro Marques, pondo de parte a pretensão de integração daquela participada como defende o PCP.

Em Outubro do ano passado, no Parlamento, o presidente da CP, Carlos Gomes Nogueira, disse estarem em estudo  "seis ou sete cenários" para a EMEF, dando como exemplos a possibilidade de serem criadas "duas EMEF: uma EMEF CP e uma EMEF terceiros (mercado)" ou a "incorporação da EMEF na CP".




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 18.02.2018

Na EMEF só trabalha a máfia, quem lá trabalha é tudo com cunha entre os empregados é tudo pai, filho sobrinho e amigos. Conheço pessoal da EMEF que colocava fruta nas prateleiras no pingo doce, hoje graças ao tio é electricista, sem curso nenhum.

Anónimo 16.02.2018

A EMEF é 100% CP, se só trabalhar para a CP não existe ajudas nenhumas de estado.

Dono dos Burros 15.02.2018

Porra! fim da UE. Já! Mas quem é que manda na nossa casa? Este aprendeu com o Sócrates. Deve estar a ver como há-de ganhar algum. É no que dá na hora de votar, colocam vianda o boletim. Alimentam os bácoros.

pub