Empresas Pedro Soares dos Santos: "Peso do sector público está a matar o privado" no país

Pedro Soares dos Santos: "Peso do sector público está a matar o privado" no país

O presidente da Jerónimo Martins voltou a elogiar o ambiente de captação da iniciativa privada na Colômbia, por oposição a Portugal.
Pedro Soares dos Santos: "Peso do sector público está a matar o privado" no país
Miguel Baltazar/Negócios
Isabel Aveiro 15 de março de 2016 às 19:33

O "peso do sector público em Portugal está a matar lentamente o sector privado", defendeu esta terça-feira, 15 de Março, o presidente da segunda maior cotada da praça portuguesa. "E isso vê-se nos impostos", "o nível da carga de impostos que as pessoas e as empresas têm", acrescentou, em declaração aos jornalistas, durante uma visita ao centro de distribuição de Barranquilha, na Colômbia.

 

"Aqui [na Colômbia] vê-se o Estado muito mais a acreditar no sector privado que é o motor da grande economia", defendendo que o sector privado tem que ser sempre maior que o sector publico. "Se não for assim, não consigo ver como é que os países podem ser viáveis".

 

A JM, dona da cadeia portuguesa Pingo Doce e da grossista Recheio, que desde 1995 é dona da polaca Biedronka, lucrou 333,3 milhões de euros em 2015, ano em que o volume de negócios ascendeu a 13,72 mil milhões de euros. Destes, mais de nove mil milhões de euros vieram directamente da Polónia. "Somos uma companhia polaca com sede em Portugal", disse na apresentação de resultados, há duas semanas, Pedro Soares dos Santos.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI