Empresas Pepe Jeans volta a pedir à banca para renegociar dívida. PwC alerta para fortes perdas

Pepe Jeans volta a pedir à banca para renegociar dívida. PwC alerta para fortes perdas

O grupo espanhol de moda pediu ao BBVA para voltar a renegociar um empréstimo de 250 milhões de euros, numa altura em que as vendas de marcas como a Hackett e a Façonnable estão em queda.
Pepe Jeans volta a pedir à banca para renegociar dívida. PwC alerta para fortes perdas
Vítor Mota/Cofina
Negócios 30 de janeiro de 2019 às 11:34
O grupo Pepe Jeans enfrenta novas dificuldades financeiras, devido aos efeitos do Brexit e à fraca evolução de uma das suas marcas mais emblemáticas, a Hackett. De acordo com o El Confidencial, que cita fontes do mercado, essas dificuldades já levaram o grupo espanhol de moda a pedir à banca um novo refinanciamento de dívida.

Segundo a publicação, o grupo, que tem a sua base operacional na Catalunha, a sua sede fiscal na Holanda e o seu principal mercado no Reino Unido, pediu ao BBVA para reestruturar um empréstimo de 250 milhões de euros, que já foi renovado em julho de 2017, depois de a empresa ter falhado alguns compromissos financeiros.

Comprada em 2015 pelo grupo libanês M1 por 720 milhões de euros, a Pepe Jeans registou prejuízos em 2017, altura em que o BBVA aceitou renegociar o empréstimo, alargando o prazo de pagamento em um ano, até julho de 2021, e estabelecendo quatro fases de amortização.

As mesmas fontes asseguram, porém, que as vendas do grupo Pepe Jeans voltaram a cair, devido ao declínio do comércio internacional, aos efeitos do clima e do Brexit e à fraca evolução de marcas como a Hackett e a Façonnable, obrigando o grupo a voltar a pedir um refinanciamento.

A auditora PwC também já deixou alertas sobre a situação do grupo, tendo incluído várias ressalvas nas contas da empresa. "A evolução da atividade desenvolvida pelo grupo composto pela filial e pelas suas entidades dependentes mostra uma queda dos volumes de venda e uma diminuição das margens em relação ao plano inicialmente previsto", destacou a auditora, citada pelo El Confidencial.

O M1 tem contabilizado o valor do grupo em 641 milhões de euros, mas a PwC deixa claro que esse montante é muito superior ao valor real da empresa, pelo que deveria ser registada uma perda ou ‘write-off’ nas suas contas.

O diário digital espanhol adianta ainda que se o BBVA não aceitar renegociar a dívida, e houver incumprimento, o banco poderá acabar por ficar com a empresa, já que a sua garantia são as ações da Pepe Jeans, existindo também uma promessa de hipoteca sobre as marcas Pepe Jeans e Hackett.



Marketing Automation certified by E-GOI