Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Pinho apanhado de surpresa com notícia de despedimento de 400 trabalhadores da Peugeot

O ministro da Economia foi hoje, em Bruxelas, apanhado de surpresa com a notícia do despedimento de 400 trabalhadores da fábrica de automóveis de Mangualde da PSA (grupo Peugeot/Citroen), remetendo uma reacção para mais tarde.

Negócios com Lusa 16 de Janeiro de 2009 às 10:56
  • Assine já 1€/1 mês
  • 6
  • ...
O ministro da Economia foi hoje, em Bruxelas, apanhado de surpresa com a notícia do despedimento de 400 trabalhadores da fábrica de automóveis de Mangualde da PSA (grupo Peugeot/Citroen), remetendo uma reacção para mais tarde.

"Não tenho essa informação. Acabam de me referir o facto mas eu tenho que me informar melhor como deve compreender", disse Manuel Pinho à entrada de uma reunião ministerial dos 27 sobre a crise no sector automóvel.

Para o ministro, se a notícia se confirmar, o despedimento de 400 trabalhadores "significa uma parte pequena, significa um terço da fábrica de Mangualde".

A PSA Peugeot Citroën irá dispensar, até ao final do primeiro trimestre, cerca de 400 colaboradores da sua fábrica de Mangualde. Esta redução abrange trabalhadores temporários e contratados a prazo. As saídas já começaram no final de Dezembro, avançou fonte oficial da PSA ao Negócios.

Este corte assume um peso relevante numa fábrica que emprega 1.400 pessoas e que em Abril ficará apenas com um milhar de pessoas. "Temos aqui um gabinete de apoio do Centro de Emprego e Formação Profissional de Viseu", explicou a mesma fonte da PSA, quando questionada sobre o acompanhamento a dar aos trabalhadores dispensados. Não foi possível saber se estas 400 pessoas irão ter uma ocupação garantida por via de formação.

Manuel Pinho mostrou-se "preocupado" com a situação "extremamente negativa" da indústria automóvel, mas espera que esta seja atenuada com o plano de apoio ao sector apresentado a 03 de Dezembro último e que já está na sua quase totalidade operacional.

A Comissão Europeia convocou todos os Estados membros da União Europeia para uma reunião ministerial, hoje, motivada pela "deterioração da situação da indústria automóvel".

A Europa registou em 2008 a quebra mais forte de vendas de carros novos em quinze anos, num contexto de recessão económica.

Ver comentários
Outras Notícias