Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Ponte pedo-ciclável condiciona trânsito na Segunda Circular durante dois meses

A autarquia "lamenta o incómodo causado a todos os automobilistas" e aconselha os automobilistas, na noite de domingo e entre 12 e 19 de Janeiro, "a adoptarem circuitos alternativos, como a CRIL".

Negócios 03 de Janeiro de 2014 às 15:45
  • Assine já 1€/1 mês
  • 17
  • ...

O trânsito vai estar condicionado na Segunda Circular, em Lisboa, no troço entre o Eixo Norte-Sul e a Estrada da Luz, a partir de domingo e durante cerca de dois meses, anunciou hoje a Câmara Municipal de Lisboa.

 

Os condicionamentos de trânsito, de acordo com um comunicado hoje divulgado, devem-se à construção de uma ponte pedo-ciclável sobre a Segunda Circular.

 

Assim, entre as 22:00 de domingo e as 05:30 de segunda-feira, será feito "o corte total da circulação" no troço entre o Eixo Norte-Sul e a Estrada da Luz (zona das Torres de Lisboa).

 

A partir das 05:30 de segunda-feira, e até meados de março, será feito o corte, no troço anteriormente referido, de uma das três faixas de rodagem, em cada um dos sentidos.

 

Entre 12 e 19 de janeiro, sempre entre as 22:00 e as 05:30, será feito o corte total da circulação naquele troço, em ambos os sentidos ou alternadamente num dos sentidos.

 

No comunicado hoje divulgado, a autarquia "lamenta o incómodo causado a todos os automobilistas" e aconselha os automobilistas, na noite de domingo e entre 12 e 19 de Janeiro, "a adoptarem circuitos alternativos, como a CRIL".

 

O projecto da ponte pedonal e ciclável sobre a Segunda Circular foi apresentado em Setembro de 2011, e o concurso lançado pouco tempo depois.

 

Esta ponte, que tinha conclusão prevista para a primavera de 2012, tinha um custo estimado de 1,2 milhões de euros e seria construída pela Fundação Galp Energia, no âmbito de um protocolo que a entidade estabeleceu com a Câmara de Lisboa em 2009 para promover formas de mobilidade mais sustentável na cidade.

 

Um ano depois do prazo estimado para a conclusão da ponte, o custo das obras aumentou para 1,365 milhões e a execução do projecto passou para a Lisboagás, empresa do grupo Galp Energia, que só tem disponibilidade para 900.000 euros e que, por isso, a Câmara de Lisboa propôs "comparticipar no valor remanescente, que não ultrapassará o valor de 465.000 euros, mediante a doação em pagamento de taxas de ocupação de subsolo devidas pela Lisboagás ao Município de Lisboa".

 

“A obra, de desenho arrojado, irá seguramente assumir-se como um equipamento arquitectónico e de engenharia marcante para todos os que por ela passarem”, refere um comunicado da Galp Energia.               

Ver comentários
Saber mais Segunda Circular Estrada da Luz Câmara Municipal de Lisboa Torres de Lisboa Fundação Galp Energia Câmara de Lisboa Galp Energia
Mais lidas
Outras Notícias