Empresas Portugal é o 6º melhor país do mundo para as mulheres empreendedoras

Portugal é o 6º melhor país do mundo para as mulheres empreendedoras

Portugal é um dos melhores países do mundo para as mulheres prosperarem enquanto empreendedoras, posicionando-se no 6º lugar do ranking, segundo o Mastercard Index para o Empreendedorismo Feminino.
Portugal é o 6º melhor país do mundo para as mulheres empreendedoras
Raquel Murgeira 08 de março de 2018 às 10:47

Portugal é destacado como um dos países com as melhores oportunidades e condições de apoio para as mulheres empreendedoras. Ocupa o 6º lugar, com 69,1 pontos, à frente de países como a Austrália (68,9 pontos, 7º), Bélgica (68,7 pontos, 8º), Filipinas (68,0 pontos, 9º) ou o Reino Unido (67,9 pontos, 10º) e atrás dos Estados Unidos da América (70,8 pontos, 4º) e Singapura (69,2 pontos, 5º), de acordo com a segunda edição do Mastercard Index para o Empreendedorismo Feminino.

O estudo da Mastercard acompanhou o progresso e resultados de mulheres empresárias em 57 países de cinco regiões geográficas, chegando à conclusão que o preconceito de género é o principal obstáculo em todo o mundo para o empreendedorismo feminino. A percepção de desigualdade de género conduz a múltiplas implicações que levam a falta de autoconfiança, baixa aceitação social e cultural, e até mesmo incapacidade de acesso a financiamento ou capital de risco, características presentes tanto em mercados emergentes como em mercados desenvolvidos.

Para chegar a estas conclusões, o estudo recorreu à análise de três domínios: "a progressão das mulheres ao nível empresarial; recursos financeiros e de aprendizagem; e condições de apoio ao nível governamental. Isto através de 12 indicadores e 25 sub-indicadores das 57 economias que representam, globalmente, 78,6% da força de trabalho feminina" salienta o Mastercard Index.

"Apesar de as mulheres terem feito avanços notáveis como empresárias em todo o mundo, existe ainda um trabalho árduo que tem de ser feito para que possam atingir todo o seu potencial" explica Martina Hund-Mejean, directora financeira da Mastercard.

Em termos globais, as economias mais desenvolvidas constituem o ambiente mais propício para as mulheres empreendedoras prosperarem, como se comprova pelos três principais mercados do ranking: Nova Zelândia (74,2 pontos, 1º), Suécia (71,3, 2º) e Canadá (70,9, 3º). Facto que acontece devido a "maiores oportunidades de acesso a um conjunto vasto de recursos, incluindo programas académicos, oportunidades de formação, acesso a capital e serviços financeiros" de acordo com o Mastercard Index para o Empreendedorismo Feminino.

Portugal surge também no 10º lugar no que respeita ao número de mulheres proprietárias de um negócio, ao representarem 28% do total. No topo desta listagem está o Gana, com 46,4% das mulheres a serem proprietárias de um negócio, seguido da Rússia com 34,6% e do Uganda com 33,8%.

 

 




pub