Energia Portugal ganha prémio de “pior subsídio” à exploração de petróleo

Portugal ganha prémio de “pior subsídio” à exploração de petróleo

O “galardão” foi dado pela CAN Europe e pretende chamar a atenção para países que apostam na exploração de combustíveis fósseis. Foi atribuído na sequência da licença dada ao consórcio Galp/Eni para exploração de petróleo em grande profundidade na Costa vicentina.
Portugal ganha prémio de “pior subsídio” à exploração de petróleo
Reuters
Filomena Lança 16 de abril de 2018 às 11:13

Portugal conquistou o ouro nos Prémios dos Subsídios aos Combustíveis Fósseis de 2018, atribuídos pela Climate Action Network (CAN) Europe. Estes prémios são dados, pela negativa, a governos que utilizam dinheiros públicos para financiar ou subsidiar energias não renováveis. Além de Portugal, foram também contemplados a Polónia e a Espanha.

 

No caso português, a CAN condena a licença dada ao consórcio Galp/Eni para a exploração de petróleo na costa algarvia, ao largo de Aljezur, um projecto que está em consulta pública até esta segunda pública para se decidir se o projecto de sondagem deve sujeitar-se – ou pode dispensar – o procedimento de Avaliação de Impacte Ambiental (AIA).

 

O prémio é o resultado de uma campanha em toda a Europa, feita através da internet durante o mês de Março e em que pessoas de toda a Europa votaram nos três piores subsídios aos combustíveis fósseis de oito candidatos no total.

 

No caso português, a preocupação vai para a exploração de petróleo na Costa Vicentina, que, muito embora ainda esteja em processo de decisão, já está a mobilizar as petrolíferas, para o que estas dizem ser, para já, apenas monitorização ambiental. Isto "numa área de biodiversidade protegida e de interesse turístico".

 

A Polónia ficou em segundo lugar pelos investimentos em centrais de produção de energia a carvão, às quais o governo tem vindo a atribuís subsídios. Na vizinha Espanha, o problema é também o carvão, desta feita nas Ilhas Baleares, que tem um efeito de bloqueio no desenvolvimento da produção de energia solar.

 

A União Europeia ganhou um prémio especial da CAN Europe pelo apoio dado ao nível do gás, nomeadamente a projectos como os gasodutos Trans-Adriático e Trans-Anatólio (TAP e TANAP).




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Excelente Há 1 semana

Parabens!!!

Ciifrão Há 1 semana

Organizações destas - CAN Europe - não produzem nada de útil, apenas se aproveitam de gente crente e descompensada para os levarem a militâncias fanáticas. O resultado são descontrolos sociais graves, o terrorismo nasce assim.

Uma sugestão, Dr. António Costa ... Há 1 semana

Dr. ANTÓNIO COSTA, se é energia q quer obter, a fim de libertar o país dos milhares de milhões q tem de pagar, porque não se constrói uma BARRAGEM NO VALE DO CÔA, q seria a ALQUEVA DO NORTE, não só com um potencial enorme de armazenamento de água, mas igualmente como produção de ENERGIA LIMPA ?

SR. COSTA, ESTE ASSUNTO NÃO É LIRISMO, É MT GRAVE Há 1 semana

A lógica do ultraliberalismo é aviltante.
Agora é o cidadão comum q deixa no ar uma pergunta pertinente, a q gostaríamos q o Governo respondesse :

E QUE PODERÁ DAR O MM PETRÓLEO, EM IMPACTO NA VIDA MARINHA, NUM TEMPO EM Q OS GOVERNOS AVISADOS PROCURAM SUBSTITUIR O PETRÓLEO POR ENERGIA LIMPA ?

ver mais comentários
pub