Imobiliário Portugal registou o segundo maior aumento dos preços das casas na Zona Euro

Portugal registou o segundo maior aumento dos preços das casas na Zona Euro

Os preços das casas aumentaram, em Portugal, mais de 10% no terceiro trimestre quando comparado com o ano anterior. Este foi a segunda subida mais pronunciada entre os 19 membro da Zona Euro.
Portugal registou o segundo maior aumento dos preços das casas na Zona Euro
Sara Antunes 18 de janeiro de 2018 às 10:17

Os preços das casas cresceram 4,1% na Zona Euro e 4,6% na União Europeia no terceiro trimestre do ano passado, quando comparado com igual período do ano anterior, revelou esta quinta-feira, 18 de Janeiro, o Eurostat. Apenas um país reportou uma descida dos preços: Itália.

 

Todos os restantes Estados-membros reportaram aumentos nos preços das casas. A liderar a subida esteve a República Checa, com uma subida de 12,3%. Mas dentro da Zona Euro apenas a Irlanda superou Portugal, com os preços das casas a aumentarem 12% no país cuja capital é Dublin.

 

Em Portugal, o aumento de preços, no terceiro trimestre, ascendeu a 10,4%. Mais nenhum país registou subidas de dois dígitos.

 

Os dados publicados pelo Eurostat revelam também que o aumento de preços das casas acelerou um pouco por toda a Europa. E Portugal não foi excepção.

Aumento de preços sem precedentes em Portugal

A subida dos preços das casas em Portugal, superior a 10%, não tem precedentes. Quer o INE quer o Eurostat têm dados desde o primeiro trimestre de 2009, não existindo qualquer variação de dois dígitos neste período, à excepção deste último dado.

Os dados divulgados esta quinta-feira, são idênticos ao que o Instituto Nacional de Estatísticas (INE) já tinha divulgado em Dezembro, com o terceiro trimestre do ano a corresponder ao 16.º aumento trimestral consecutivo. 

Muito se tem escrito sobre o mercado imobiliário nacional. Com as vendas a crescerem também a um ritmo de dois dígitos. Os estrangeiros têm sido a principal razão para este comportamento do mercado imobiliário. Quer pela compra de casa por parte de estrangeiros, quer devido ao crescimento do turismo que tem aumentado a oferta de arrendamento de imóveis em Portugal, com especial incidência em Lisboa e Porto. 





A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
General Ciresp 18.01.2018

Que os portugueses acordem de cu para cima e gostem de dizer o que lhes vai na alma,nao e bonito mas aceitavel,mas ao ponyo de meterem os europeus no mesmos saco e um abuso de confianca.Que fique bem claro:quando o pais tem um valor de encher os olhos,os nordicos arrebentam a escala.

Luis Miguel 18.01.2018

Curioso... Irlanda e Portugal, precisamente dois países resgatados e que tiverem problemas com o sistema bancário precisamente devido aos empréstimos à habitação... outra vez a subir a montanha russa...

o BCP e o DR TULIÇES ALFARROBEIRA 18.01.2018

O DR TULIÇES ALFARROBEIRA TINHA TODA A RAZÃO O MILENIUM BCP TINHA DE CORRIGIR AGORA O CÉU É O LIMITE em ABRIL TEREMOS o PLENO DE TODAS AS AGÊNCIAS DE RATINGS PARA o MILENIUM BCP e para PORTUGAL nesta pascoa : BCP = 1 EURO por AÇÃO

TOLIÇES PEREIRA = MASSA BRUTA = RPG 18.01.2018

TULIÇES ALFARROBEIRA = MASSA BRUTA = RPG ELE È O MAIOR SHORTISTA DO MILENIUM BCP ele É O MAESTRO DO BOTABAIXO BCP se ELE NÃO EXISTISSE á MUITO MUITO TEMPO que o BCP já estava a UM EURO por isso ele que vá para o INFERNO

Saber mais e Alertas
pub