Start-ups Portuguesa Prodsmart obtém 1,2 milhões de euros junto de investidores europeus

Portuguesa Prodsmart obtém 1,2 milhões de euros junto de investidores europeus

A start-up portuguesa Prodsmart fechou uma ronda de investimento, junto de investidores europeus, no valor de 1,2 milhões de euros. A verba vai permitir expandir a equipa.
Portuguesa Prodsmart obtém 1,2 milhões de euros junto de investidores europeus
Ana Laranjeiro 19 de fevereiro de 2018 às 11:21

A start-up portuguesa Prodsmart – que tem uma solução de gestão da produção – fechou uma ronda de investimento no valor de 1,2 milhões de euros junto de um leque de investidores europeus. Com este financiamento, a empresa prepara-se para reforçar a equipa de customer success, segundo o comunicado enviado às redacções.

A firma fundada por Gonçalo Fortes (na foto) e por Samuel Martins obteve financiamento junto de investidores europeus: a capital de risco Join Capital (Berlim), a Caixa Capital (Portugal), a Innovation Nest (Polónia), assim como os business angels Francisco Lobo, Pedro Vieira, Pedro Trinité e Telmo Valido.

Gonçalo Fortes, CEO da Prodsmart, diz que "o nosso objectivo é dar aos clientes o acesso não só a um software, mas também a uma equipa que os ajudará a resolver vários problemas que sabemos que as PME industriais sentem no seu dia-a-dia".

Marcin Szelag, da Innovation Nest, no documento, defende os "dados digitais terão um papel importante na evolução actual do mercado global da manufactura".

"Graças à Prodsmart, o acesso aos dados em tempo real tornou-se fácil e acessível. Estamos empolgados no que diz respeito a apoiar os fundadores em fazer da Prodsmart o sistema de gestão de fábrica baseado na cloud ", acrescenta Marcin Szelag.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Triste país 19.02.2018

Quando 200 mil contos de investimento é noticia é porque é um país miserável povoado por miseráveis.

pub