Telecomunicações Portugueses compraram mais electrodomésticos e telemóveis em 2017

Portugueses compraram mais electrodomésticos e telemóveis em 2017

Os gastos dos portugueses com grandes electrodomésticos aumentaram 10,8% no ano passado.
Portugueses compraram mais electrodomésticos e telemóveis em 2017
Reuters
Raquel Murgeira 26 de fevereiro de 2018 às 17:38

Segundo um estudo da GFK Portugal, o ano passado, os portugueses aumentaram as compras de produtos duráveis tecnológicos, electrónicos e de telecomunicações em 7,3%. Os grandes electrodomésticos (10,8%) e os telemóveis de valor mais elevado são os bens que mais subiram nas compras do público português.

Este crescimento das vendas em praticamente todas as áreas dos produtos duráveis tecnológicos, electrónicos e de telecomunicações mostra o actual nível de confiança do consumidor e a sua propensão para a compra. Os portugueses estão a comprar também telemóveis mais caros, bem como, novos "grandes electrodomésticos", factor impulsionado pelo dinamismo do imobiliário, refere a GfK. 

Relativamente ao quatro trimestre de 2017, as telecomunicações foram o sector que mais cresceu. Face a igual intervalo de 2016, teve uma variação positiva de 18,0%, o que perfaz receitas de 323 milhões de euros. Em relação aos grandes electrodomésticos, contra o período homólogo de 2016, a variação foi positiva em 13,1% o que representa um valor de 159 milhões de euros, aponta estudo da GFK Portugal.

Segundo a empresa de estudos de mercado, se fizermos o balanço relativo ao ano total de 2017, as telecomunicações, sentiram uma variação de 13,9%, o que perfaz receitas de 974 milhões de euros. Em relação ao ano de 2016, os grandes electrodomésticos tiveram uma variação de 10,8%, representando um valor de 562 milhões de euros.

A tendência para comprar é para continuar a crescer no mercado português, aponta estudo da GFK Portugal. Em relação ao nível do sentimento dos consumidores portugueses, o importante indicador da tendência para comprar alcançou o valor mais alto a Dezembro de 2017, o que equivale a 13,8 pontos. A última vez que o indicador esteve acima deste valor foi em Março de 2000. 




pub