Automóvel Pré-acordo laboral aprovado na Autoeuropa

Pré-acordo laboral aprovado na Autoeuropa

O acordo estava a ser negociado desde Dezembro e prevê uma subida do salário em 3,2%.
Pré-acordo laboral aprovado na Autoeuropa
Pedro Elias
André Cabrita-Mendes 01 de março de 2018 às 22:13

O pré-acordo laboral foi aprovado em referendo pelos trabalhadores da fábrica da Volskwagen esta quinta-feira, 1 de Março. 

 

Este acordo prevê um aumento salarial de 3,2% para este ano com efeito retroactivo a Outubro de 2017. 

 

O acordo estava a ser negociado desde Dezembro pela administração e a comissão de trabalhadores. Este acordo não inclui a recompensa sobre o trabalho aos fins-de-semana, cujas negociações ainda não arrancaram.

 

A aprovação do pré-acordo foi avançada ao Negócios pelo coordenador da comissão de trabalhadores, Fernando Gonçalves, sem conseguir precisar neste momento as percentagens de votação.

 




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 02.03.2018

Estes sindicatos são uns vígaros mafiosos. Nada fazem por quem precisa do seu apoio mas andam sempre a meter o bedelho onde não devem.

Eles merecem, pq andam mt cansados 01.03.2018

No meio de tudo isto, há uma boa notícia : aquilo por q tanto se têm batido os esforçados trabalhadores da AE, será coroada de êxito, daqui a dois anos, quando terminar a produção do T-TOC, no qual a VW investiu quase 700 MM.
A partir daí, terão, não só o sábado, mas a semana toda para descansar

Erro de cálculo : os Alemães não são os tugas 01.03.2018

Quando o Sitesul afirma q as lutas, dentro da AE, são por iniciativa dos trabalhadores, usa de uma monumental hipocrisia, pq todos sabemos q a moção X ou Y é fácil de criar e que há processos insidiosos, como o do voto de braço no ar, nos plenários, que mais não é do que um meio de constranger.

ANTÓNIO CHORA NUNCA RECORREU À GREVE 01.03.2018

A história em poucas palavras
A CT da AE teve à s/ frente um homem, q não obstante estar ligado ao BE, sempre negociou c/ os Alemães boas condições p/ os trabalhadores
Reformou-se
O PCP, via CGTP, via SITESUL, procurou, então, a td o custo, conquistar a pérola sindical da AE c/ confrontação.

ver mais comentários
pub