Energia Preços dos combustíveis descem para mínimos do ano

Preços dos combustíveis descem para mínimos do ano

As fortes descidas das matérias-primas vão ditar reduções nos preços dos combustíveis, que só não serão mais acentuadas devido ao impacto cambial.
Preços dos combustíveis descem para mínimos do ano
Sara Antunes 09 de fevereiro de 2018 às 11:13

Os preços dos combustíveis vão voltar a descer na próxima semana. As quedas rondam os 1,5 e os 2 cêntimos por litro e colocam os preços no valor mais baixo desde o final de 2017.

 

A contribuir para esta evolução dos preços esteve o comportamento dos derivados de petróleo no mercado internacional. O preço da gasolina está a acumular uma descida superior a 3% esta semana, mas quando analisados os valores em euros, a desvalorização é de cerca de 2,5%. Já no caso do gasóleo a semana está a ditar uma quebra de 4% no mercado internacional. Isto em dólares, porque em euros a descida é de cerca de 3,5%.

 

Estas evoluções deverão implicar reduções de preços dos combustíveis nos postos de abastecimento. De acordo com os cálculos do Negócios as descidas deverão rondar os 1,5 cêntimos e os 2 cêntimos por litro.

 

Assim, o preço da gasolina simples sem chumbo de 95 octanas deverá descer para 1,496 euros, tendo em conta o preço médio praticado em Portugal, segundo os dados disponíveis no site da Direcção Geral de Energia. Já no caso do gasóleo o preço deverá recuar para 1,296 euros.


Em ambos os casos serão os valores mais baixos desde a última semana de 2017. Recorde-se que no arranque do ano, os preços dos combustíveis aumentaram também devido à actualização do imposto sobre produtos petrolíferos (ISP). Este imposto foi actualizado à taxa de inflação prevista para 2018, que foi fixada em 1,4%.  Esta actualização representou mais 0,9 cêntimos por litro no caso da gasolina e 0,6 cêntimos no gasóleo.

 

De realçar que a evolução dos preços dos combustíveis é calculada pelo Negócios, tendo por base a evolução das matérias-primas e do euro. Fonte do sector confirmou que a descida dos combustíveis rondará estes valores, sendo que os preços e a dimensão da actualização dos mesmos depende de cada posto de abastecimento e da zona onde se encontra. 




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 09.02.2018

Todos os argumentos servem para encapotar a realidade.Ainda estou para ouvir dizer que os combustíveis baixaram de preço no caso de haver uma redução no consumo!!!

Anónimo 09.02.2018

São mais importantes os espirros dos "investidores" do que a variação da moeda. Atchim, sobem 2 cêntimos, atchiiiim, sobe 2,5 cêntimos... depois assoa-se treme... treme... descem 0,5 cêntimos. A constipação passa? Não! mais semana menos semana nova época de espirros renovados EM ALTA... sem cura.

antonio 09.02.2018

Realmente, a jornalista devia ter tido mais cuidado com o texto que escreve, porque se o Euro sobe, naturalmente que os combustíveis descem mais. e não o contrário.
No mínimo, corrigir a notícia...

Anónimo 09.02.2018

Também não estou a entender a frase " só não foi mais acentuado porque o EUR valorizou" quando o barril é vendido em dolares. Supostamente, se o EUR valorizou face ao USD então iremos pagar menos EUR's pela mesma quantidade de USD, o que significa que a mesma quantidade de petróleo custará menos EUR

ver mais comentários
pub