Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Presidente da Associação das PME critica encontro de Cavaco Silva com empresários

O presidente da Associação Nacional das PME, Fernando Augusto Morais, acusou hoje o Presidente da República de afastar as pequenas e médias empresas (PME) do topo da agenda política, criticando a reunião que hoje decorreu com empresários na Exponor.

Lusa 23 de Maio de 2010 às 01:46
  • Partilhar artigo
  • ...
O presidente da Associação Nacional das PME, Fernando Augusto Morais, acusou hoje o Presidente da República de afastar as pequenas e médias empresas (PME) do topo da agenda política, criticando a reunião que hoje decorreu com empresários na Exponor.

"As PME têm sido permanentemente afastadas do topo da agenda política", afirmou à agência Lusa o responsável, frisando que "o que ocorreu hoje na Exponor contraria tudo o que o Presidente da República tem vindo a dizer sobre a importância das PME" para a economia portuguesa.

Segundo Fernando Augusto Morais, "o Presidente da República juntou-se com 56 grandes empresários, em divergência com as orientações da União Europeia, que em 2008 aprovou o 'Small Business Act', para que os países europeus pensem primeiro na pequena escala". "Quem paga tudo isto [esforço para contrariar a crise] são as PME, com o agravamento dos impostos. Até admira a posição do Presidente da República.

As PME não podem ser afastadas do topo da agenda política", reforçou. Fernando Augusto Morais, que é também vice presidente da Confederação Europeia das PME, sublinhou "o descontentamento" com o afastamento das PME do encontro com Cavaco Silva, criticando ainda "a violação das promessas eleitorais do governo".

"As PME vão sofrer com a carga fiscal avassaladora que vem aí", frisou, dizendo que "nos últimos cinco anos fecharam 200 mil empresas em Portugal, deixando sem emprego 350 mil portugueses". O Presidente da República, Cavaco Silva, teve hoje uma reunião com empresários do Norte, na Exponor, considerando que, desde 1974, "nunca o país precisou tanto do contributo dos empresários privados portugueses para vencer a crise" e apelando ao "investimentos e a parcerias competitivas" e à aposta no "mercado global".

Segundo o Presidente da República, é destes empresários que "poderá vir a força acrescida da exportação de bens e serviços, a modernização da nossa economia, a inovação e a capacidade de penetração nos mercados externos".
Ver comentários
Outras Notícias