Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Presidente da SLN sai vitorioso mas em silêncio da assembleia geral

Fernando Lima, presidente da SLN há cerca de dois meses, saiu hoje da assembleia-geral do grupo com a aprovação das suas propostas para a reestruturação e com um voto de confiança dos accionistas, mas optou por não falar aos jornalistas.

Negócios com Lusa 29 de Maio de 2009 às 19:54
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Fernando Lima, presidente da SLN há cerca de dois meses, saiu hoje da assembleia-geral do grupo com a aprovação das suas propostas para a reestruturação e com um voto de confiança dos accionistas, mas optou por não falar aos jornalistas.

"Devido à agitação que tem havido esta semana em torno do grupo SLN, o presidente [Fernando Lima] prefere guardar umas declarações para momento mais oportuno", disse fonte oficial da Sociedade Lusa de Negócios (SLN), que detinha o banco BPN.

A audição de Oliveira Costa na comissão de inquérito parlamentar ao caso BPN, na terça-feira, levantou vários assuntos que tocam, inevitavelmente, na sociedade que detinha o BPN até à nacionalização da instituição financeira em Novembro de 2008.

Também as notícias em torno da compensação (seguro de reforma) a receber pela curta passagem de Miguel Cadilhe pela SLN/BPN, 10 milhões de euros, fizeram correr muita tinta e levaram Fernando Lima a não falar, conforme disse a fonte da SLN.

Já Joaquim Coimbra, que só na entrada para a reunião (pelas 10:15) deu à agência Lusa uma breve declaração - dizendo que partia para a assembleia geral com "boas expectativas", também optou por não prestar quaisquer comentários sobre as decisões de hoje aos jornalistas.

Joaquim Coimbra foi um dos principais visados por Oliveira e Costa no Parlamento, mas não quis comentar hoje as acusações que o ex-presidente do grupo BPN/SLN lançou sobre si.

No dia seguinte à audição de Oliveira e Costa pelos deputados, nove accionistas de referência da SLN acusaram, em comunicado, o antigo presidente - que se encontra em prisão preventiva - de ter mentido e saíram em defesa de Joaquim Coimbra.

Quanto à apresentação de uma proposta concreta para a venda da Real Seguros, tarefa a que Fernando Lima se propôs a 20 de Maio último em conferência de imprensa, a mesma acabou por não ser apresentada, segundo apurou a agência Lusa junto de accionistas que participaram na assembleia-geral.

Alberto Figueiredo, um dos principais accionistas da SLN e presidente da SLN Valor, foi um dos participantes mais notórios na assembleia-geral de hoje afirmando que o pagamento do seguro de reforma de 10 milhões de euros pela SLN para assegurar a contratação de Miguel Cadilhe até poderia ter sido maior.

Alberto Figueiredo lançou também diversas acusações a Oliveira e Costa, entre elas o negócio da compra da Herdade da Miséria pelo grupo por 38 milhões de euros quando, segundo o responsável, o valor do mercado do imóvel não chega sequer a um milhão de euros.

Figueiredo revelou ainda hoje que Alípio Dias, ex-administrador do BCP, terá apresentado aos accionistas da SLN Valor uma proposta de compra da SLN em representação de um grupo que nunca identificou.

Ver comentários
Outras Notícias