Automóvel Problema nas matrículas continua a penalizar dados das vendas de automóveis

Problema nas matrículas continua a penalizar dados das vendas de automóveis

Os dados da ACAP apontam para um crescimento acima de 4%, com a Renault a permanecer na liderança.
Problema nas matrículas continua a penalizar dados das vendas de automóveis
Miguel Baltazar
Nuno Carregueiro 01 de março de 2018 às 19:03

O problema com a emissão de matrículas está "totalmente ultrapassado", mas afectou os dados das vendas de automóveis de Fevereiro ainda reflectem a verdadeira evolução do mercado.

 

Segundo a ACAP, "pelo segundo mês consecutivo o apuramento estatístico do mercado não reflecte a actividade dos operadores que se viram impedidos de matricular todos os veículos que pretendiam devido a um problema informático na Autoridade Tributária e Aduaneira".

 

Em declarações no Parlamento,  o presidente do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) garantiu a 28 de Fevereiro que os atrasos na emissão de matrículas que se verificaram no início do ano "está ultrapassada".

 

Eduardo Feio explicou que o problema ficou a dever-se à entrada em vigor de um novo programa informático, mas salientou que a situação, que afectou a emissão de matrículas de veículos novos " está completamente ultrapassada". 

 

No comunicado com a divulgação dos dados das vendas de Fevereiro, a ACAP salientou que este problema "impediu a normal emissão de matrículas no mês de Fevereiro, existindo casos em que os operadores representantes legais de marcas de automóveis liquidaram o Imposto Sobre Veículos não tendo, no entanto, sido atribuídas as respectivas matrículas".

 

Desta forma, os "resultados estatísticos terão de ser analisados neste contexto", até porque "no apuramento de Fevereiro incluem-se matrículas que não foram atribuídas em Janeiro devido à ocorrência do mesmo problema há um mês atrás".

 

Vendas crescem 4,1%

 

No mesmo comunicado, a ACAP revela que o mercado de veículos automóveis novos registou 41.413 novas matrículas, o que representou um crescimento homólogo de 4,1%.

 

As vendas de ligeiros de passageiros cresceram 4,1% e nos ligeiros de mercadorias o crescimento foi de 3,1%.

 

Na análise às vendas por marca, a Renault mantém a liderança, com um crescimento 10,9% e um reforço da quota de mercado para 13,87%. Em segundo lugar permanece a Peugeot, com um aumento de vendas de 8,9%.

 

A Mercedes-Benz aparece em terceiro lugar entre as marcas mais vendidas nos dois primeiros meses do ano, com um aumento de 3,9% nas vendas, enquanto a BMW sobe para quarto apesar de as vendas terem recuado 3,4%.

 

A Volkswagen desceu para sexto lugar, depois de ter sofrido uma queda de 24,2%, embora esta descida possa estar relacionada com o problema do registo das matrículas.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 02.03.2018

Isto até é bom... a vêr se alguns parvos anulam o negócio para não se enterrarem ainda mais...

Anónimo 02.03.2018

Como sempre, a m@rda da burocracia a atrapalhar o negócio. Isto já é pior que África!

pub