Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PT em mínimos de 18 meses com recomendação negativa do Citigroup

As acções da Portugal Telecom negociavam em mínimos de 18 meses, depois do banco Citigroup ter revisto em baixa o preço-alvo dos 9 para os 8,60 euros. Desde o «profit warning» da TMN, dez casas de investimento já baixaram a avaliação feita para a maior op

Pedro Carvalho pc@mediafin.pt 24 de Junho de 2005 às 10:02
  • Partilhar artigo
  • ...

As acções da Portugal Telecom negociavam em mínimos de 18 meses, depois do banco Citigroup ter revisto em baixa o preço-alvo dos 9 para os 8,60 euros. Desde o «profit warning» da TMN, dez casas de investimento já baixaram a avaliação feita para a maior operadora de telecomunicações nacional.

As acções da Portugal Telecom [PTC] negociavam no valor mais baixo desde Dezembro de 2003, com mais uma revisão em baixa por parte de uma casa de investimento internacional.

Agora foi a vez do Citigroup descer o preço-alvo das acções da PT dos 9 para os 8,60 euros.

Numa nota emitida hoje a clientes, o banco de investimento norte-americano diz que a economia nacional precisa de reformas estruturais, «um cenário negativo para a PT a curto prazo».

De acordo com o Citigroup, a aceleração na migração para os telemóveis de terceira geração deverá pôr em risco as margens da empresa em 2006.

«O Brasil deverá continuar a suportar a criação de valor a longo prazo, mas não em 2005» sustenta o Citigroup, adiantando que a empresa liderada por Miguel Horta e Costa não deverá aumentar a remuneração aos accionistas em 2005 para compensar a debilidade dos fundamentais.

O banco norte-americano tem uma recomendação de «manter» para as acções da PT que voltavam hoje a negociar em queda de 1,25% para os 7,87 euros. Em 2005, as acções já estão a acumular uma desvalorização de 14%.

Desde o «profit warning» feito pela empresa no início de Junho, dez bancos de investimento reviram em baixa a avaliação da PT.

Depois do Deutsche Bank, do BNP Paribas, do Millennium bcp, da Merrill Lynch, da Smith Barney, da JP Morgan, da Morgan Stanley e da UBS, ontem foi a vez da Goldman Sachs baixar a recomendação das acções de «em linha» para «underperform».

Ver comentários
Outras Notícias