Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PTM pode avançar para «quadruple play» após separação

A separação da PT Multimédia (PTM) da Portugal Telecom (PT) vai permitir-lhe avançar para o «quadruple play», reunindo a voz fixa e móvel, a internet e a televisão, disse Henrique Granadeiro, chairman e CEO da PT.

Negócios com Reuters 03 de Agosto de 2006 às 17:33
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A separação da PT Multimédia (PTM) da Portugal Telecom (PT) vai permitir-lhe avançar para o «quadruple play», reunindo a voz fixa e móvel, a internet e a televisão, disse Henrique Granadeiro, chairman e CEO da PT.

Adiantou, em entrevista à Reuters, que a PT e a PTM serão no futuro concorrentes, com ofertas próprias nos vários segmentos e contribuirão para «o desenvolvimento do mercado de telecomunicações português, permitindo uma maior introdução de ofertas inovadoras e convergentes».

A PT anunciou hoje medidas defensivas à oferta pública de aquisição (OPA) lançada pela Sonaecom que incluem o «spin off» da PTM e o aumento da remuneração aos accionistas de 3 para 3,5 mil milhões de euros para o período entre 2006 e 2008.

No processo de «spin-off» da PTM, cada accionista da PT deverá receber 4 acções da Multimédia, por cada 25 acções detidas da PT o que, tendo por referência o preço de fecho de 2 de Agosto será equivalente a 1,47 euros por acção da PT.

«A PTM, como empresa independente, provavelmente irá evoluir a sua oferta para ‘quadruple play’ e será um forte concorrente no contexto do sector», disse Henrique Granadeiro que não quis especificar como conseguirá a PTM uma operação móvel, deixando isso para a liderança executiva da empresa.

A PT já tinha anunciado, anteriormente, a intenção da PTM passar a oferecer serviços de voz numa oferta «triple play» que poderá ser reforçada com a introdução do móvel.

Henrique Granadeiro disse que só agora faz sentido proceder a esta separação de redes, tão reclamada pelos operadores concorrentes e defendida pelos reguladores, uma vez concluída que está a reestruturação financeira, realizada entre 2002 e 2005, e que se traduziu «numa melhoria significativa do seu desempenho operacional e financeiro».

O «spin-off» é, igualmente, um movimento feito tendo como pressuposto a maximização do valor para os accionistas da PT.

«Dado o potencial de criação de valor da PTM, o conselho de administração da PT considera que a entrega deste activo directamente aos seus accionistas, através de um ‘spin-off’, maximiza a criação de valor e adicionalmente vai ao encontro das pretensões da Anacom (regulador sectorial), da Autoridade da Concorrência e do Governo», disse Granadeiro.

Sobre a gestão futura da PTM, caso avance o «spin-off», Granadeiro deixa isso nas mãos do accionistas, admitindo que a empresa «já tem uma equipa de gestão e quadros de elevado potencial, pelo que não se antevêem grandes alterações».

A PT detém directamente 58% do capital da PTM.

As acções da PT [ptc] caíram 0,41% para os 9,81 euros enquanto os títulos da PT Multimédia [ptm] subiram 2,28% para os 9,41 euros.

Outras Notícias