Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

"A EDP tem os melhores resultados recorrentes da sua história"

A 5 de Março de 2009 o presidente da EDP, António Mexia, apresentava, nas contas de 2008, "os melhores resultados de sempre" da companhia. Hoje, 29 de Outubro, o CEO da eléctrica nacional repetiu, com uma nuance, a frase. "A EDP tem nestes primeiros nove meses de 2009 os melhores resultados recorrentes da sua história".

Miguel Prado miguelprado@negocios.pt 29 de Outubro de 2009 às 18:51
  • Partilhar artigo
  • 2
  • ...
A 5 de Março de 2009 o presidente da EDP, António Mexia, apresentava, nas contas de 2008, “os melhores resultados de sempre” da companhia. Hoje, 29 de Outubro, o CEO da eléctrica nacional repetiu, com uma nuance, a frase. “A EDP tem nestes primeiros nove meses de 2009 os melhores resultados recorrentes da sua história”, afirmou António Mexia, no dia em que a EDP anunciou um lucro de 748 milhões de euros, 20% abaixo do ano passado. Mas em base recorrente o resultado líquido cresceu 9%, para 780 milhões de euros.

António Mexia justificou a subida dos resultados em base recorrente (excluindo efeitos extraordinários) com “o carácter distintivo de algumas opções de gestão”, entre as quais a política de cobertura de risco, que levou a EDP a ter um aumento de 66% no seu EBITDA (resultado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) no mercado liberalizado da Península Ibérica.

Outra nota vincada pelo presidente da EDP foi o investimento concretizado nos primeiros nove meses do ano, que somou 2.528 milhões de euros. António Mexia referiu em conferência de imprensa que “83% desse investimento é em capacidade de expansão, é investimento que vai gerar mais resultados no futuro”.

Na análise dos principais indicadores, António Mexia desvalorizou a subida de 4% da dívida líquida, que agora soma 14,4 mil milhões de euros. “A companhia tem 5 mil milhões de euros de liquidez, o que é um montante importante”, comentou o presidente da EDP. Estas disponibilidades financeiras permitirão ao grupo cumprir as suas necessidades de investimento nos próximos dois anos, realçou o mesmo responsável.

Ver comentários
Outras Notícias