Empresas "As rendas excessivas foram criadas por um Governo do PS"

"As rendas excessivas foram criadas por um Governo do PS"

"É muito interessante que o Partido Socialista esteja preocupado com as rendas excessivas", ironizou Álvaro Santos Pereira, após ser criticado por alguns deputados pela ausência de medidas para conter os custos do sector eléctrico.
Miguel Prado 18 de abril de 2012 às 12:22
O ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, disse no Parlamento que "é muito interessante que o Partido Socialista esteja preocupado com as rendas excessivas [no sector eléctrico], que foram criadas por um Governo que, por acaso, foi… do Partido Socialista".

Foi desta forma que Álvaro Santos Pereira respondeu a críticas que lhe foram dirigidas por parte do PS, na comissão parlamentar de Economia e Obras Públicas, a propósito de não terem ainda sido concretizadas medidas para reduzir os custos do sistema eléctrico e poupar a factura que é suportada pelas famílias e empresas.

O ministro da Economia, que já havia indicado que “o Governo continua totalmente empenhado em diminuir os custos do sistema eléctrico”, reiterou que as medidas em que o Governo está a trabalhar neste domínio abrangem a garantia de potência, a redução de apoios à cogeração e a redução de sobrecustos das energias renováveis.

Álvaro Santos Pereira não avançou qualquer pormenor sobre os custos de manutenção do equilíbrio contratual (CMEC), rubrica dos custos do sistema eléctrico que tem como único interlocutor a EDP e que foi identificada num relatório do Governo como a maior fonte de “rendas excessivas” (avaliadas, nos CMEC, em 165 milhões de euros por ano).

O ministro da Economia também se referiu às parcerias público-privadas (PPP), notando que o “travão” concretizado pelo Governo permitirá “uma poupança de mais de mil milhões de euros ao erário público”. Álvaro Santos Pereira disse ainda que “as renegociações com as concessionárias levarão a uma poupança muito significativa para os portugueses”.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI