Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Radiomóvel opõe-se à OPA da Sonaecom

A Radiomóvel considera que a concretização da OPA sobre a PT viria a agravar as “práticas anti-concorrenciais” já existentes no mercado das comunicações, até porque considera que nem a abertura das redes móveis aos operadores virtuais nem a atribuição de

Negócios negocios@negocios.pt 29 de Março de 2006 às 17:18
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Radiomóvel considera que a concretização da OPA sobre a PT viria a agravar as "práticas anti-concorrenciais" já existentes no mercado das comunicações, até porque considera que nem a abertura das redes móveis aos operadores virtuais nem a atribuição de uma terceira licença UMTS compensaria a fusão TMN/Optimus.

A Radiomóvel, na posição que fez chegar à Autoridade da Concorrência e à Anacom sobre a OPA, afirma ainda que este negócio a concretizar-se viria "a agravar os comportamentos abusivos de que tem sido alvo" o que poderia vir a "por em causa a viabilidade" do projecto da empresa.

Esta operadora de comunicações aproveitou ainda o documento que enviou às duas autoridades para acusar os operadores móveis portugueses de incumprimento no que toca às obrigações assumidas aquando dos concursos de UMTS. Para a Rádiomóvel tanto a Vodafone como a Optimus e a TMN estão em falta com os compromissos assumidos ao nível do "desenvolvimento da sociedade da informação", "do combate à info-exclusão".

Outras Notícias