Imobiliário RAR investe quase 70 milhões em dois novos projetos residenciais de luxo

RAR investe quase 70 milhões em dois novos projetos residenciais de luxo

A RAR Imobiliária está prestes a concluir o projeto da Quinta do Paço Lumiar e prepara-se para lançar outros dois: O Novo Parque, em Matosinhos, e a Quinta São José Ribamar, em Oeiras.
RAR investe quase 70 milhões em dois novos projetos residenciais de luxo
O projeto Quinta do Paço Lumiar ficará concluído no início de 2020.
Negócios 11 de outubro de 2019 às 19:35
O projeto residencial de luxo da Quinta do Paço do Lumiar, promovido pela RAR Imobiliária, está prestes a ficar concluído, já no início do próximo ano. E a promotora imobiliária já prepara o lançamento de novos empreendimentos. Na calha está o projeto O Novo Parque, em Matosinhos, que será apresentado no arranque de 2020 e no qual investirá 22 milhões, e um empreendimento em Oeiras que conta com um investimento de 45 milhões.

A informação foi avançada pelo presidente da promotora, José António Teixeira, num encontro com jornalistas. A Quinta do Paço Lumiar está praticamente concluída: das 17 moradias deste condomínio de luxo, assinado pelo arquiteto Souto Moura, já só falta vender três. Todas as outras já foram vendidas, só a compradores nacionais, com preços de lançamento que se situaram entre 1 milhão e 1,5 milhões de euros.

A promotora prepara-se, assim, para lançar o novo projeto. O Novo Parque, em Matosinhos, terá 70 apartamentos, seis dos quais com um "novo conceito de habitação, que será disruptivo", descreve José António Teixeira.

Para já, não há valores para estas casas de luxo. O projeto tem um prazo de dois anos e meio, com as vendas a arrancarem no início de 2020 e a conclusão prevista para 2023. Entre aquisição do terreno e construção, a RAR Imobiliária investiu 22 milhões neste projeto.

Também no próximo ano, vai avançar com outro projeto de luxo, que ainda não tem datas previstas. É a Quinta São José de Ribamar, em Oeiras, com contará com 22 frações, entre 12 moradias novas e 10 apartamentos reabilitados, num investimento total de 45 milhões de euros.

Faturação de 16 milhões

Para este ano, a empresa espera registar um volume de negócios de 16 milhões de euros, que representa uma quebra de 23,8% face aos 21 milhões registados no ano passado.

Já o EBITDA (resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização), a promotora deverá alcançar os 4,5 milhões de euros, uma descida de 25%, enquanto o resultado líquido ficará em 1,5 milhões, menos 42%.

José António Teixeira explica que este movimento fica a dever-se ao menor número de projetos que a RAR Imobiliária tinha em carteira este ano, afirmando ainda que não houve uma quebra nas vendas.

Com o lançamento do novo projeto, para o próximo ano, o presidente da empresa antecipa que a tendência será de crescimento. O volume de negócios deverá alcançar os 29 milhões de euros, enquanto o EBITDA será de 7 milhões e os lucros de 5,5 milhões.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI