Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Redução de «cash flow» provoca queda de 3,5% nos lucros da Teixeira Duarte

A queda do «cash flow» da Teixeira Duarte provocou uma redução em 3,5% nos lucros do primeiro semestre. As vendas aumentaram 12,7% para os 205 milhões de euros, enquanto os proveitos operacionais subiram 12% para os 213 milhões.

Joaquim Madrinha 26 de Setembro de 2002 às 12:24
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A queda do «cash flow» da Teixeira Duarte provocou uma redução em 3,5% nos lucros do primeiro semestre da construtora. As vendas aumentaram 12,7% para os 205 milhões de euros, enquanto os proveitos operacionais subiram 12% para os 213 milhões de euros.

A diminuição de 1,3% no «cash-flow» da Teixeira Duarte, provocou um decréscimo de 3,5% nos lucros da construtora portuguesa, que atingiram os 14 milhões de euros.

A empresa registou um crescimento de 12,7% das vendas, o que se reflectiu no aumento dos proveitos operacionais. Estes cresceram de 190 para 213 milhões de euros. O valor acrescentado bruto (VAB) e os investimentos financeiros cresceram, respectivamente, 18,6% e 41,6%.

Os custos financeiros relacionados com a aquisição da participação na Cimpor, realizada no segundo semestre de 2001, foram incorporados no exercício agora apresentado. Esta compra provocou um aumento de 204% nos custos financeiros em relação ao primeiro semestre de 2001.

O grupo espera atingir no final de 2002 resultados operacionais no valor de 730 milhões de euros e um resultado líquido de 22 milhões de euros.

A Teixeira Duarte [TXDE] registou crescimentos negativos no «cash-flow» e nos capitais próprios que apresentam ambos uma quebra de 1,3%. O valor dos capitais próprios ascendia, no final do primeiro semestre, aos 285 milhões de euros, valor que compara com 289 milhões de euros no final do primeiro semestre de 2001.

O número de trabalhadores caiu 7% para os 6.963, enquanto os investimentos financeiros recuaram 16,1% para os 474 milhões de euros. As vendas e os proveitos operacionais cresceram 7,4% e 10,1% respectivamente, o que gerou uma subida de 8,6% no VAB para os 102 milhões de euros. O «cash flow» do grupo diminuiu 2%.

A Teixeira Duarte valorizava 1,09% para os 0,93 euros.

Outras Notícias