Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

RHJ International oferece mais em troca da Opel

A RHJ International aumentou a sua oferta pela Opel, unidade da General Motors (GM), concordando em injectar mais dinheiro no construtor europeu e em receber menos garantias de crédito por parte do governo alemão.

Hugo Paula hugopaula@negocios.pt 02 de Setembro de 2009 às 08:17
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A RHJ International aumentou a sua oferta pela Opel, unidade da General Motors (GM), concordando em injectar mais dinheiro no construtor europeu e em receber menos garantias de crédito por parte do governo alemão.

A oferta realizada pelo grupo de investimento, sedeado em Bruxelas, foi anteriormente descrita por um dos principais negociadores da GM como uma “proposta mais simples”.

Nas novas condições, a RHJ contribuirá com 300 milhões de euros, em vez dos 275 milhões de euros propostos numa fase anterior das negociações, segundo disse um porta-voz do grupo de Bruxelas, Arnaud Denis, ontem em entrevista à Bloomberg.

A proposta permite esperar que a Opel necessite de garantias do governo alemão no valor de 3,2 mil milhões de euros, em vez dos anteriores 3,8 mil milhões de euros, e a dívida será paga em 2013, um ano mais cedo do que anteriormente proposto.

O governo liderado por Angela Merkel, que forneceu 1,5 mil milhões de euros em empréstimos de curto prazo para evitar a falência da Opel, tem pressionado a General Motors a aceitar uma proposta concorrente liderada pela canadiana Magna, um fornecedor de peças para automóveis.

A nova proposta da RHJ “não vem à custa de futuros investimentos na Opel”, afirmou Denis, acrescentando que os novos termos conferem à proposta uma “estrutura optimizada”.

Os conselheiros da GM, cuja nova equipa de administradores falhou em escolher um comprador para a Opel, recomendaram que os administradores considerem procurar ajuda de outros governos europeus para permanecerem donos do fabricante europeu, afirmou à Bloomberg uma fonte próxima do processo.

Os administradores consideram todas as opções, inclusivamente manter a Opel como uma subsidiária totalmente detida pela GM, segundo disseram à Bloomberg.

Ver comentários
Outras Notícias