Indústria RNM investe 15 milhões na construção de nova fábrica em Famalicão

RNM investe 15 milhões na construção de nova fábrica em Famalicão

O grupo RNM, que factura 135 milhões de euros e emprega 215 pessoas, apresentando-se como líder de mercado na distribuição de produtos químicos, vai investir 15 milhões de euros em novas instalações, em Famalicão, onde irá concentrar as suas actividades industrial e comercial.
RNM investe 15 milhões na construção de nova fábrica em Famalicão
Rui Neves 07 de março de 2018 às 11:57

Da freguesia de Carreira para a de Landim. A RNM - Produtos Químicos vai continuar sediada em Famalicão, mas noutra localização do concelho, onde irá investir 15 milhões de euros na construção de novas instalações, que "vão permitir a concentração da actividade industrial e comercial da empresa e, assim, aumentar a sua eficiência e potencial de crescimento", revela a autarquia famalicense, em comunicado.

 

O executivo camarário vai esta quinta-feira, 8 de Março, declarar o interesse público municipal deste investimento, através da sua classificação como Projecto 2IN, estando marcado para esse mesmo dia a apresentação pública do novo projecto da RNM, que decorrerá nas actuais instalações da empresa, na Rua da Fábrica, em Carreira.

 

De acordo com a informação prestada pela Câmara de Famalicão, a RNM, que emprega 215 pessoas e vai contratar mais 24, fechou o último exercício com um volume de negócios consolidado de 135 milhões de euros.

 

Inicialmente ligada ao sector têxtil, a RNM diversificou os seus negócios no final do século passado, tornando-se "líder de mercado na distribuição de produtos químicos, assegurando soluções integradas ao nível da comercialização, produção, logística e transporte para os mais diversos sectores de actividade".

 

O grupo liderado por Ricardo Machado garante estar "entre os cinco maiores operadores de produtos químicos da Península Ibérica".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub