Automóvel SAG sai de bolsa já esta quarta-feira

SAG sai de bolsa já esta quarta-feira

As acções da empresa liderada por João Pereira Coutinho já não negoceiam esta quarta-feira, 31 de julho, depois de a CMVM ter aceitado o pedido para sair de bolsa.
SAG sai de bolsa já esta quarta-feira
Miguel Baltazar
Pedro Curvelo 30 de julho de 2019 às 18:18
As ações da SAG Gest já não serão negociadas a partir desta quarta-feira, 31 de julho, após a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) ter aceitado o pedido de saída de bolsa requerido no início deste mês, informou o supervisor do mercado em comunicado difundido esta terça-feira.

O pedido de perda da qualidade de sociedade aberta foi requerido por João Pereira Coutinho, CEO e principal acionista da empresa, a 3 de julho, após ter passado a deter 95,05% do capital social na sequência da oferta pública de aquisição (OPA) cujos resultados foram apurado a 1 de julho.

No comunicado, a CMVM refere que "em reunião do seu Conselho de Administração, realizada em 30 de julho de 2019, foi deliberado deferir, com efeitos a esta data, o pedido de perda da qualidade de sociedade aberta da SAG GEST – Soluções Automóveis Globais, SGPS, S.A. (SAG), requerido por João Manuel de Quevedo Pereira Coutinho".


A IAMC - Investments and Assets Management Consulting, Lda. (IAMC), totalmente controlada por Pereira Coutinho, "obrigou-se a adquirir as ações detidas pelos restantes acionistas da SAG (...) pelo prazo de três meses a contar da presente publicação e ao preço unitário de €0,0615 por ação". O preço agora indicado é idêntico ao da OPA.

A decisão da CMVM implica a "imediata exclusão da negociação em mercado regulamentado das ações da sociedade", assinala o documento.

Após a OPA, as ações detidas por outros acionistas para além de Pereira Coutinho totalizam 8.445.572 títulos, o que significa que a aquisição destas ações terá um custo global de 519.402,68 euros.

A saída de bolsa da SAG é uma das condições previstas no acordo anunciado a 30 de abril entre a empresa e a Porsche Holding Salzburg (PHS) para a venda da SIVA e outras subsidiárias à distribuidora automóvel controlada pelo grupo Volkswagen. 

O acordo da SAG com a PHS estipula que esta pagará um euro pela aquisição da SIVA, bem como a SIVA Serviços, Soauto e subsidiárias Loures, Rolporto e Rolvia, com a Globalrent e a AA00, bem como um perdão de dívida por parte dos bancos credores.

A 24 de julho, outra das condições inscritas no acordo foi cumprida, com a autorização por parte da Comissão Europeia da venda da SIVA à PHS, considerando Bruxelas que a operação não tinha implicações ao nível da concorrência.

A PHS espera que o processo fique concluído até final de setembro.

(notícia atualizada às 18:33 com mais informação)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI