Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Salvador de Mello: "Preferia não ter sido condicionado na OPA à ES Saúde como penso que fui"

O presidente da José de Mello Saúde deixou críticas ao Estado português que, na visão do responsável, insiste em fazer aquilo que não sabe, nomeadamente na regulação. O gestor reforça que houve falhas de regulação "muito claras" no sector financeiro em Portugal.

Miguel Baltazar/Negócios
Rita Faria afaria@negocios.pt 21 de Outubro de 2014 às 13:02
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

Questionado sobre o crescimento dos investimentos chineses em Portugal, Salvador de Mello foi peremptório na resposta. "É muito positivo que haja investimento estrangeiro e era bom que houvesse mais investimento produtivo", afirmou o presidente da Espírito Santo Saúde, à margem da conferência Portugal em Exame, realizada esta manhã, em Lisboa.

 

E acrescentou: "Eu preferia ter ganho a OPA e não ter sido condicionado como penso que fui".

 

Recorde-se que o grupo Mello saiu da corrida pela dona do Hospital da Luz no final de Setembro uma vez que não conseguiu ter a decisão da Autoridade da Concorrência a tempo de registar a oferta. Acabou por ser ganha pela antiga seguradora da Caixa Geral de Depósitos, a Fidelidade, controlada pelos chineses da Fosun.

 

Sobre a economia portuguesa e os desafios que se aproximam, o gestor acredita que muito depende do sector privado. "A gestão privada está sempre sob desafio e não há empresas protegidas. Ou crescem ou morrem", explicou.

 

"E fundamental apostar no corte da despesa pública e na reforma do Estado. O Estado ainda faz o que não deve e o que não sabe, nomeadamente na regulação", sublinhou o presidente da José de Mello Saúde. E deu o exemplo: "Houve falhas de regulação muito claras nas grandes empresas em Portugal no sector financeiro", rematou. 

Ver comentários
Saber mais Salvador de Mello grupo Mello José de Mello Saúde
Mais lidas
Outras Notícias