Banca & Finanças "Santa Casa não me deu certeza nenhuma", diz Tomás Correia
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

"Santa Casa não me deu certeza nenhuma", diz Tomás Correia

“Vai existir em Portugal um grupo financeiro detido pela generalidade das instituições da economia social.” A certeza é do presidente do Montepio, que adianta que o projecto nasceu. “Queiram ou não queiram.”
"Santa Casa não me deu certeza nenhuma", diz Tomás Correia
Bruno Simão
Diogo Cavaleiro 26 de fevereiro de 2018 às 22:41

Quem entra ou como entra é uma coisa que me preocupa pouco." Esta é a resposta de António Tomás Correia relativamente ao eventual investimento da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa na Caixa Económica Montepio )

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 27.02.2018

Este tipo, e a cambada à volta dele, querem é bons tachos!

Economia social, pois, a deles, dos familiares e dos afilhados ...

JCG 27.02.2018

Enquanto não afastarem completamente a trupe de Tomás Correia e do padre Melícias do Montepio, não há condições para limpar e higienizar a situação do grupo. Mas isso também não chega: é preciso acautelar a não instalação de um outro qualquer gangue

BORIS 27.02.2018

A nossa politica no seu melhor. O dinheiro que seria para ajudar os necessitados vai ser entregue aos ricos, incompetentes, maus gestores e agiotas.
Ninguém governa este chiqueiro que se tornou a politica nacional, havia esperança num Presidente como o prof. Marcelo mas ele não tem poderes

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub