Banca & Finanças Santana Lopes em reuniões com Banco de Portugal e Montepio

Santana Lopes em reuniões com Banco de Portugal e Montepio

O jornal Público adianta que António Tomás Correia e José Félix Morgado estiveram no Banco de Portugal a discutir o Montepio. Também Santana Lopes esteve em reuniões, não só no regulador como na caixa económica.
Santana Lopes em reuniões com Banco de Portugal e Montepio
Bruno Simão
Diogo Cavaleiro 02 de junho de 2017 às 09:13

O provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Pedro Santana Lopes, esteve, na semana passada, em reuniões no Banco de Portugal e no Montepio, segundo adianta a edição desta sexta-feira, 2 de Junho, do jornal Público, e confirmou o Negócios. 

 

De acordo com a publicação, o motivo para os encontros passa pela discussão sobre o futuro do Montepio. Santana Lopes atirou para o final de Junho qualquer posição pública sobre um eventual investimento a fazer na Caixa Económica Montepio Geral, actualmente totalmente detida pela Montepio Geral – Associação Mutualista.

 

A forma como um possível investimento externo possa ser concretizado é, neste momento, um aspecto a ser discutido em torno do Montepio. A transformação em sociedade anónima, promovida pelo Banco de Portugal, faz com que o capital da instituição financeira passe a ser representado por acções. O actual regime jurídico das caixas económicas permite a abertura do seu capital, mas obriga a que seja uma instituição do sector social - como é a Mutualista - a deter a maioria do capital. A forma como seria concretizado um eventual investimento da Santa Casa continua por esclarecer, embora o Público adiante que o ex-primeiro-ministro preferia uma parceria que não envolvesse uma aquisição de posição directamente no capital.

 

O investimento da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa é visto com bons olhos pelo ministro da Solidariedade e Segurança Social, José Vieira da Silva, que tem a tutela e a supervisão da mutualista do Montepio, encabeçado por António Tomás Correia.

 

Encontros do Montepio com BdP

 

Ainda não foi possível obter esclarecimentos adicionais nem do Banco de Portugal nem do Montepio nem da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa em relação à notícia do Público, já que não querem fazer comentários. A Santa Casa não quis fazer comentários sobre o tema. "Não comentamos noticias especulativas e fundadas em hipóteses", diz a Caixa Económica Montepio Geral.

 

Segundo o jornal, Tomás Correia esteve também em encontros com o Banco de Portugal na semana passada, tal como José Félix Morgado, o presidente da comissão executiva da Caixa Económica Montepio Geral. Em causa estaria o pedido de esclarecimento sobre a evolução da situação financeira e de capital da instituição financeira nos primeiros três meses do ano. 

 

A forma como será concretizada a mudança para sociedade anónima da caixa económica continua por definir, esperando-se o registo em conservatória dessa alteração. Contudo, esse processo tem de ser alinhado com a entrega de um prospecto junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, já que essa transformação implica a conversão das unidades de participação do fundo do Montepio, actualmente cotadas em bolsa, em acções representativas do capital da caixa económica.

 

Unidades voltam a subir

 

Esta sexta-feira, as unidades de participação estão a variar entre ganhos e perdas, estando pelas 9:00 a somar 0,40% para valerem 0,75 euros, seguindo em linha com a evolução positiva do PSI-20. 

 

O comportamento positivo do Montepio segue-se ao recuo de ontem de 0,66% que ocorreu após a subida acumulada de 77% registada entre terça e quarta-feira.


(Notícia actualizada às 12:18 com mais informações)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI