Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Santander quer comprar 25% das acções da sua filial brasileira

O anúncio desta oferta de aquisição surgiu um pouco antes da divulgação dos resultados do primeiro trimestre de 2014, período em que o banco registou resultados líquidos de 1.303 milhões de euros.

Bloomberg
Negócios 29 de Abril de 2014 às 09:48
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O Banco Santander anunciou uma oferta de aquisição, orçada em 4,7 mil milhões de euros, sobre 25% do capital que ainda não detém na sua filial brasileira. O banco oferecerá um prémio de 20% sobre o valor do último fecho das acções em bolsa, esperando que a operação esteja concluída em Outubro deste ano.

 

A oferta acontece cinco anos depois de o banco presidido por Emilio Botin (na foto) ter colocado grande parte do capital do Santander Brasil em bolsa para reforçar ganhos de capital. O preço pedido agora é 33% menor do que nessa altura.

 

Se o Santander recuperar todo o capital detido por investidores minoritários, a instituição bancária terá de emitir cerca de 665 milhões de acções, o que equivale a 5,8% do seu capital social actual ou 4,7 mil milhões de euros.

 

Esta oferta é uma demonstração da confiança do Banco Santander no Brasil e na sua filial neste mercado assim como no seu potencial de crescimento a longo prazo. 
 
Comunicado do Banco Santander

A instituição bancária esclarece que a oferta será voluntária e não condicionada a um mínimo de aceitação.

 

"Esta oferta é uma demonstração da confiança do Banco Santander no Brasil e na sua filial neste mercado assim como no seu potencial de crescimento a longo prazo", explica o banco num comunicado enviado ao regulador do mercado espanhol, CNVM.

 

Lucros aumentam 8%

 

O anúncio desta oferta de aquisição surgiu um pouco antes da divulgação dos resultados do primeiro trimestre de 2014. O grupo Santander obteve resultados líquidos de 1.303 milhões de euros nos primeiros três meses do ano, o que representa um crescimento de 8% em comparação com o mesmo período do ano passado.

 

Em informações enviadas à CNVM, a instituição bancária informou que o volume de crédito concedido caiu 2% em termos homólogos mas subiu 1% face ao trimestre anterior, tendo os depósitos e fundos crescido 1% e o volume de malparado descido para 5,52%.

 

O mesmo comunicado revela que maiores receitas, redução de custos e de provisões foram os factores que mais contribuiram para o resultado obtido. Reino Unido e Espanha foram países em destaque neste primeiro trimestre, com o lucro em território espanhol a crescer 24%, atingindo os 251 milhões de euros.

Ver comentários
Saber mais Banco Santander Emilio Botin Santander Brasil Santander Brasil Comissão Nacional do Mercado de Valores CNVM El País Grupo Santander Reino Unido Espanha economia negócios e finanças serviços financeiros banca
Outras Notícias