Empresas Sindicato propõe a trabalhadores da Soares da Costa que suspendam contrato

Sindicato propõe a trabalhadores da Soares da Costa que suspendam contrato

Em causa os operários que tenham actualmente salários em atraso a receber da construtora. O líder sindical defende que, desta forma, trabalhadores receberão 70% do salário através da Segurança Social.
Sindicato propõe a trabalhadores da Soares da Costa que suspendam contrato
Lusa 16 de maio de 2016 às 12:29
O presidente do Sindicato da Construção de Portugal, Albano Ribeiro, realizou esta segunda-feira, 16 de Maio, um périplo pelas várias obras da Construtora Soares da Costa, no Porto, para aconselhar os trabalhadores com salários em atraso a suspenderem o contrato de trabalho.

"Vamos aconselhar os trabalhadores a suspenderem os contratos, que pelo menos assim recebem 70 por cento do salário, pagos pela Segurança Social", disse o dirigente do sindicato à Lusa.

De acordo com Albano Ribeiro, muitos trabalhadores da empresa "já não tem dinheiro para comer, nem para pagar as suas contas e, portanto, isto vai ter que ser alterado".

"Quando a empresa pagar, os trabalhadores têm de regressar ao seu posto. Agora vamos querer saber e dizer hoje publicamente que se a empresa tem dinheiro tem de pagar", disse.

Em declarações à Lusa, Albano Ribeiro voltou a acusar a Soares da Costa de ter assumido perante um outro elemento do sindicato numa reunião de ter "oito milhões de euros no Deutsche Bank", o que, segundo o presidente do sindicato, "dava para pagar os salários todos em Angola e em Portugal".

"Não sei se esse dinheiro ainda está no Deutsche Bank ou não, tem de provar", frisou.

A Soares da Costa e os seus administradores executivos anunciaram na passada quarta-feira ter decidido apresentar queixas-crime por "difamação e calúnia" contra o presidente do Sindicato da Construção de Portugal, Albano Ribeiro.

Em comunicado assinado pelo presidente da Comissão Executiva da empresa, Joaquim Fitas, a Soares da Costa acusa Albano Ribeiro de "reiterada e obsessivamente [insistir] em mentir e tentar denegrir a Soares da Costa, sem que se vislumbrem propósitos claros".

Em reacção, Albano Ribeiro disse que "têm todo o direito de avançar com isso", da mesma maneira que o presidente do sindicato "tem todo o direito" de se defender", estando "num Estado de direito democrático" e acusou a empresa de receber as quotas sindicais e de não as enviar para o sindicato, pelo que poderiam também apresentar uma queixa-crime, algo que não foi feito até aqui "por causa dos trabalhadores".

O presidente do Sindicato da Construção de Portugal disse que, na passada terça-feira, foi feita uma queixa da construtora Soares da Costa à Polícia Judiciária por atrasos nos pagamentos aos trabalhadores.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI