Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Soares da Costa dispara mais de 8% à espera dos resultados anuais

As acções da Soares da Costa já valorizaram perto de 9%, no dia em que a construtora vai apresentar, após o fecho do mercado, os resultados referentes a 2007.

Ana Luísa Marques anamarques@negocios.pt 10 de Março de 2008 às 11:54
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

As acções da Soares da Costa já valorizaram perto de 9%, no dia em que a construtora vai apresentar, após o fecho do mercado, os resultados referentes a 2007.

Os títulos da Soares da Costa [sco] subiram um máximo de 8,9% para 1,59 euros e seguem agora a ganhar 7,53% para 1,57 euros. A empresa apresenta esta tarde os resultados referentes ao ano passado e as perspectivas de crescimento para 2008.

De acordo com as previsões do Caixa BI os lucros da construtora cresceram 87%, em resultado da consolidação da área de concessões, explica o banco.

"A Soares da Costa tem tido uma história de crescimento pautada pela mudança e deverá continuar a apresentar resultados favoráveis tanto a nível operacional como no que concerne ao resultado liquido", prevê a analista Teresa Caldeira do Caixa BI.

O banco de investimento estima que, em 2007, o resultado líquido da construtora tenha crescido em 87% para os 10,9 milhões de euros. O EBITDA deverá ter aumentado 6,8% para 36,9 milhões de euros e as vendas 3,1% para 579,3 milhões de euros.

O Caixa BI explica que os aumento dos lucros se deve à "consolidação pelo método de equivalência proporcional da área de concessões".

"A favorável carteira de encomendas é a base do crescimento do grupo", refere o Caixa BI, o que explica "um crescimento das vendas na ordem dos 3.1%".

"O aumento da eficiência ao nível dos custos operacionais deve traduzir-se numa melhoria do EBITDA. Este resultado acaba por ser também reflexo da diversificação geográfica da empresa, dado que em Angola o grupo consegue obter, por via das características dos projectos, melhores margens que em Portugal", explica a analista do banco de investimento.

"A conclusão do metro do Porto em 2006 alavancou os resultados da empresa, factor que, conjugado com a cenário do sector da construção em Portugal o ano passado deverá traduzir-se numa diminuição das receitas a este nível. Este resultado deverá ser colmatado pelo crescimento das receitas do mercado externo, que é expectável que cresçam tendo como base o livro de encomendas", refere ainda o Caixa BI.

Mais lidas
Outras Notícias