Empresas Sonaecom e EDP disparam com «roll-up» da Optimus e resultados

Sonaecom e EDP disparam com «roll-up» da Optimus e resultados

As acções da Energias de Portugal e da Sonaecom estão hoje em forte alta na bolsa nacional, depois das empresas terem ontem apresentado resultados e anunciado que a eléctrica trocou a sua posição na Optimus por uma participação de 15,91% no capital da «h
Nuno Carregueiro 28 de julho de 2006 às 08:50

As acções da Energias de Portugal e da Sonaecom estão hoje em forte alta na bolsa nacional, depois das empresas terem ontem apresentado resultados e anunciado que a eléctrica trocou a sua posição na Optimus por uma participação de 15,91% no capital da «holding» de Paulo de Azevedo.

As acções da Energias de Portugal subiam 1,64% para 3,10 euros e os títulos da Sonaecom apreciavam 3,11% para 4,64 euros.

Ontem as duas empresas apresentaram os resultados do primeiro semestre, mas mais do que as contas, o que está a impulsionar os títulos é o facto de terem chegado a acordo para efectuar o «roll up» da posição que a eléctrica controla na Optimus.

A eléctrica, que tem 25,94% na operadora móvel, ficará com 15,91% na ‘holding’ liderada por Paulo Azevedo. O «roll-up» poderá traduzir-se, para a EDP, numa perda ou ganho financeiro igual ao diferencial entre 315 milhões de euros e o valor de mercado das 58,3 milhões de acções Sonaecom com que a EDP ficará.

«É positivo. É melhor do que estávamos à espera, uma vez que a Sonaecom ganha por ter dado menos acções que o previsto no nosso cenário», afirmou Nuno Vieira, analista do Millennium bcp Investimento, à Reuters. Adiantou que este negócio tem um impacto positivo de 9% no seu «price target» para a Sonaecom, que passa para 4,64 euros de 4,25 euros.

Resultados acima do esperado

A apresentação de resultados também está a puxar pelas acções, pois os números apresentados ontem à tarde pelas duas companhias ficaram acima das expectativas dos analistas.

A Energias de Portugal anunciou ontem que os resultados líquidos do primeiro semestre aumentaram 17,7% para 374,7 milhões de euros, um valor que ficou em linha com as estimativas mais optimistas dos analistas.

A média dos valores estimados pelos analistas dos cinco bancos de investimento contactados pelo Jornal de Negócios apontavam para que a EDP registasse lucros de 352,74 milhões de euros, o que representava um aumento 10,9% face aos 318 milhões de euros registados pela eléctrica nos primeiros seis meses do ano passado.

A Sonaecom anunciou que os seus resultados líquidos referentes ao primeiro semestre do ano mais do que quadruplicaram para os 24,3 milhões de euros, com a empresa liderada por Paulo Azevedo a beneficiar da mais-valia obtida com a venda da Enabler à Wipro. Os lucros atribuíveis aos accionistas da Sonaecom cresceram 318,9% para os 24,3 milhões de euros, um valor que compara com os 5,8 milhões registados em igual período do ano anterior.

O lucro líquido apresentado pela Sonaecom superou o ponto médio de 20,7 milhões de euros estimado em média pelos cinco analistas, numa «poll» realizada consultados pela agência Reuters.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI