Start-ups Start-up eSolidar avaliada em mais de 3 milhões de euros depois de levantar financiamento

Start-up eSolidar avaliada em mais de 3 milhões de euros depois de levantar financiamento

A start-up portuguesa eSolidar obteve 150 mil euros em financiamento, através de uma campanha na Seedrs. Com esta operação, a start-up fica com uma avaliação superior a três milhões de euros. A empresa pretende lançar, ainda este ano, uma moeda virtual.
Start-up eSolidar avaliada em mais de 3 milhões de euros depois de levantar financiamento
Pedro Elias
Ana Laranjeiro 19 de janeiro de 2018 às 12:31

A eSolidar, uma start-up portuguesa que tem uma plataforma que permite angariação de financiamento para causas solidárias, levantou 150 mil euros na segunda campanha de financiamento que realizou na Seedrs. Em troca deste financiamento, a empresa deu 4,6% do seu capital.

Com esta ronda de investimento, a empresa ficou avaliada em 3,12 milhões de euros, de acordo com o comunicado enviado pela Seedrs, plataforma luso-britânica de equity crowdfunding.

Esta empresa lançou recentemente "uma solução de responsabilidade social para empresas". "A eSolidar Business é uma solução que permite envolver, capacitar e conectar os funcionários com o mínimo de esforço, ampliando as suas estratégias de impacto e responsabilidade social, e criando uma cultura de colaboração e de comunidade dentro de qualquer organização".

O financiamento obtido nesta campanha na Seedrs vai ser canalizado para esta solução de responsabilidade social para companhias "tanto no melhoramento como no desenvolvimento da tecnologia, como vendas e acesso a novos clientes".

Marco Barbosa, CEO da eSolidar, diz que, com esta campanha, foi atingido um objectivo que vai permitir à empresa "conseguir fortalecer a nossa proposta de valor e estar estrategicamente posicionados para escalar as vendas".

Em comunicado, a eSolidar assinala ainda que vai lançar uma moeda virtual em 2018."A eSolidar anuncia ainda que vai lançar uma Oferta Inicial de Moeda (ICO) este ano e os investidores que entrarem nesta campanha terão acesso privilegiado e com desconto a essa moeda", refere.

"Com o objectivo de usar a tecnologia blockchain como uma ferramenta para o impacto social, a start-up portuguesa quer aproveitar a sua plataforma e lançar uma moeda que poderá ser usada para apoiar causas solidárias, possibilitando que o impacto seja potenciado e que o valor da moeda aumente sempre que é usada", é ainda salientado no comunicado.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub