Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Talone diz não se deve esperar grandes reduções nos preços das tarifas eléctricas

A EDP entende que os preços da electricidade praticados em Portugal são, em muitos casos, mais baratos que na vizinha Espanha, pelo que João Talone sublinhou que «não se esperem grandes descidas das tarifas».

Bárbara Leite 24 de Junho de 2003 às 12:56
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A Electricidade de Portugal entende que os preços da electricidade praticados em Portugal são, em muitos casos, mais baratos que na vizinha Espanha, pelo que João Talone sublinhou que «não se esperem grandes descidas das tarifas», com o Mercado Ibérico de Electricidade e extinção dos Contratos de Aquisição de Energia (CAE).

No II Fórum de Energia promovido pelo «Diário Económico», João Talone, presidente executivo da EDP, apresentou dados do Eurostat, de 2003, que desmistificam a ideia de que os preços da electricidade cobrados em Portugal são mais elevados que em Espanha.

Para os clientes de Alta Tensão (grandes empresas), os preços praticados em Portugal são 12% mais baratos que em Espanha e na média tensão, os preços são praticamente iguais aos de Espanha. O presidente executivo da EDP admite que na baixa tensão (pequenos consumidores) os preços praticados sejam 15,9% superiores aos de Espanha.

Sobre esta diferença, Talone esclareceu mesmo que ela só ocorre devido à politica económica espanhola, que permitiu diferir os défices com esses preços, mas, para Talone, nalgum momento eles vão ser repercutidos nas tarifas.

A EDP entende ainda que as tarifas eléctricas não podem ser consideradas penalizadoras para a competitividade do país, tanto que os preços de venda de electricidade nos últimos cinco anos baixaram 4,3%, enquanto os custos da EDP apenas caíram 1,2%.

Com esta declaração o novo presidente da EDP admite a perda de competitividade da própria empresa nos últimos anos. Perante este cenário e com a introdução do Mibel, Talone sublinha portanto, «não esperem grandes descidas nas tarifas em Portugal».

EDP quer ser remunerada por investimentos na qualidade do serviço

A EDP quer ser remunerada pelos investimentos que a empresa vai fazer para aumentar a qualidade do serviço, com a abertura ao mercado espanhol, referiu João Talone.

«Há alguém que faça investimentos que não sejam remunerados», questionou João Talone, não adiantando o método de remuneração.

Para provar o empenhamento da eléctrica no aumento da qualidade, Talone revelou que a partir de Julho será publicado um anúncio na imprensa diária, dos níveis de qualidade do serviço da EDP em todas as zonas do país. A EDP planeia investir 50 milhões de euros para melhorar a qualidade do seu serviço.

EDP mantém unidades ineficientes para responder a picos de procura

A EDP, após a extinção dos CAE contratados com a REN, vai manter algumas das suas unidades tecnologicamente menos competitivas, disse Talone.

Esta manutenção vai permitir «dar resposta aos períodos de ponta», de procura de energia eléctrica em épocas como o Verão, quando se verificam níveis reduzidos de hidraulicidade.

Esta necessidade é mais visível na vizinha Espanha do que em Portugal.

As acções da EDP seguiam a descer 2,13% para os 1,84 euros.

Ver comentários
Outras Notícias