Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Nelson Tanure entra na administração da Pharol

Nelson Tanure, que no ano passado chegou a pedir a destituição dos administradores portugueses da Pharol na Oi, integra agora o conselho de administração da operadora liderada por Palha da Silva.

Luís Palha da Silva, presidente da Pharol, diz esperar que não seja demorada a entrada dos processos em tribunal.
Pedro Elias/Negócios
Negócios 30 de Junho de 2017 às 18:57
  • Partilhar artigo
  • 5
  • ...

O conselho de administração da Pharol deliberou nomear, por cooptação, na sua reunião desta sexta-feira, 30 de Junho, como administradores para completar o mandato em curso (triénio 2015-2017), Jorge Santiago Neves, Nelson Sequeiros Rodriguez Tanure e Thomas Cornelius Azevedo Reichenheim.

 

Estas cooptações serão submetidas a ratificação na próxima assembleia geral de accionistas da Pharol, anunciou em comunicado à CMVM a empresa liderada por Palha da Silva (na foto).

Tanure tem andado, nos últimos meses, a reforçar a sua participação na Pharol, tendo, inclusive, sido noticiado que terá sido o comprador da posição do BCP (6,17%) na sucessora da antiga Portugal Telecom, o que nunca foi oficialmente confirmado.
 

Fonte oficial ligada ao empresário garantiu ao Negócios, a 29 de Maio passado, que "Nelson Tanure não aumentou nem tem intenção de aumentar sua participação na Pharol, em torno de 2%", posição essa detida através do Discovery Capital Management, LLC.

 

Recorde-se que o empresário brasileiro Nelson Tanure, responsável pela criação da Société Mondiale Fundo de Investimento em Acções – accionista da Oi, representada pela gestora Bridge Administradora de Recursos – requereu a 7 de Julho do ano passado a convocação de uma assembleia-geral extraordinária da operadora brasileira para a destituição dos administradores ligados a Portugal, exigindo também uma compensação judicial por danos na fusão com a Oi. 

 

Rafael Mora, Nuno Vasconcellos, Palha da Silva, Pedro Morais Leitão, João Vicente Ribeiro, João Castro, Pedro Guterres, Maria do Rosário Pinto Correia e André Navarro, uns titulares e outros suplentes da administração da Oi, foram os nomes contestados pela Société Mondiale.

 

A contestação foi seguida pela proposta de substituição por outros nomes, para que houvesse um "conselho com pessoas capacitadas, todos conselheiros independentes".

 

Posteriormente, Tanure chegou a um acordo para pôr fim ao diferendo legal com a Pharol, num entendimento que lhe permitiu assentos na administração da operadora brasileira. A contrapartida foi deixar de exigir a saída dos administradores da Pharol - embora parte deles tivesse de sair para encaixar os membros da Société Mondiale - e a compensação judicial. 

Agora entra também na administração da Pharol, que esta sexta-feira encerrou a sessão a valorizar 0,99% para 0,305 euros.

Ver comentários
Saber mais Pharol Jorge Santiago Neves Maria do Rosário Pinto Correia Nelson Sequeiros Rodriguez Tanure Thomas Cornelius Azevedo Reichenheim Société Mondiale Fundo de Investimento em Acções Portugal
Outras Notícias