Construção Teixeira Duarte ganha contrato na CUF Tejo no valor de 52 milhões de euros

Teixeira Duarte ganha contrato na CUF Tejo no valor de 52 milhões de euros

A construtora venceu um contrato para uma obra de estruturas, instalações e acabamentos e arranjos exteriores no Hospital CUF Tejo no valor de 52,3 milhões de euros.
Teixeira Duarte ganha contrato na CUF Tejo no valor de 52 milhões de euros
Negócios 08 de março de 2018 às 19:05

A Teixeira Duarte foi a construtora escolhida para um projecto relacionado com obras no Hospital CUF Tejo num montante de 52,3 milhões de euros.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Teixeira Duarte informa que o concurso foi ganho pela sua participada a 100% Teixeira Duarte - Engenharia e Construções. A escolha foi feita pela IMO HEALTH – Investimentos Imobiliários, uma entidade do Grupo José de Mello Saúde.

Em causa está a "execução da empreitada de construção da obra de estruturas, instalações especiais, acabamentos e arranjos exteriores do Hospital CUF Tejo, em Alcântara, Lisboa", pode ler-se na nota enviada ao regulador dos mercados.

 

No comunicado, a Teixeira Duarte refere ainda que "o prazo previsto para a execução da obra é de 16 meses" e que "o contrato de empreitada assinado no passado dia 13 de Fevereiro de 2018 envolve a execução da estrutura, instalações especiais, acabamentos e arranjos exteriores do novo Hospital CUF Tejo, que contará com seis pisos acima do solo e quatro pisos enterrados".

A construtora acrescenta também que a respectiva participação "neste projecto de grande dimensão começou em 2016 com a fase de escavação, contenção periférica e estrutura até ao Piso 0", pelo que "o valor global de ambas as empreitadas totalizará 65,4 milhões de euros".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub