Empresas Telefónica garante que não vende Vivo

Telefónica garante que não vende Vivo

A Telefónica já decidiu. A operadora espanhola anunciou ontem que não vai vender a sua parte da Vivo, mesmo que a Sonaecom adquira a Portugal Telecom. António Viana Batista, director da Telefónica Móviles, negou ontem numa conferência com investidores ess
Filipe Paiva Cardoso 26 de maio de 2006 às 07:58

A Telefónica já decidiu. A operadora espanhola anunciou ontem que não vai vender a sua parte da Vivo, mesmo que a Sonaecom adquira a Portugal Telecom. António Viana Batista, director da Telefónica Móviles, negou ontem numa conferência com investidores essa possibilidade.

"Não estamos vendedores, estamos compradores... Queremos ficar no Brasil e achamos que a Vivo é um activo muito atractivo". A Telefónica não vai assim fazer valer a cláusula existente no contrato com a PT que, se aplicada, obriga qualquer empresa que adquira a incumbente nacional a comprar a parte da operadora espanhola na Vivo.

Com esta decisão a Telefónica "empurra" a Sonaecom a vender a sua parte da Vivo caso a OPA que lançou sobre a PT tenha sucesso. Paulo Azevedo afirmou na conferência de imprensa posterior ao lançamento da oferta que apenas ficaria com as operações internacionais da PT "onde o controlo fosse inequívoco", algo que não sucede, nem sucederá, na Vivo independentemente do desfecho da OPA.

Segundo a Reuters a operadora móvel brasileira está avaliada em seis mil milhões de euros, tendo registado prejuízos de 60,1 milhões de euros no trimestre. No final de 2005 a Vivo registou prejuízos de 254,9 milhões de euros (à cotação actual).




Marketing Automation certified by E-GOI