Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Telefónica Móviles espera alcançar 70 milhões de clientes em 2006

A Telefónica Móviles ultrapassou a meta dos 50 milhões de clientes e estima que, em 2006, ter 70 milhões de utilizadores com telemóveis, o que traduz um crescimento de 40% em três anos, anunciou a operadora móvel espanhola.

Bárbara Leite 18 de Dezembro de 2003 às 13:23
  • Partilhar artigo
  • ...

A Telefónica Móviles ultrapassou a meta dos 50 milhões de clientes e estima que, em 2006, ter 70 milhões de utilizadores com telemóveis, o que traduz um crescimento de 40% em três anos, anunciou a operadora móvel espanhola.

Além dos clientes que a operadora tem em Espanha, à base de clientes é somada a totalidade dos clientes que a Vivo, também participada da Portugal Telecom, controla no Brasil. A presença no México, na Argentina, no Peru, no Chile e em Marrocos foi também contabilizada.

A operadora ao alcançar a meta dos 50 milhões de clientes, converte-se no quinto maior operador móvel mundial, avança a empresa em comunicado.

Nos últimos três anos, a unidade móvel da Telefónica duplicou o seu parque de clientes activos. Em 2000, a operadora contava com 21,8 milhões de utilizadores, em 2001, esse número subiu para os 29,8 milhões e em 2002, o montante dos clientes ascendia a 41,4 milhões.

No quarto trimestre, mesmo antes de estarem finalizadas as compras de Natal, a operadora adicionou mais 2,2 milhões de clientes.

Em 2006, o objectivo previsto é que seja alcançada a meta dos 70 milhões de clientes, o que corresponderá a um crescimento de 40% do parque de utilizadores.

Em Espanha, a empresa lidera o mercado móvel com uma quota de 53%. No Brasil, a filial da Telefónica alcançou os 20 milhões de clientes. No mercado mexicano, a Telefónica consolidou o segundo lugar no «ranking» com três milhões de clientes.

Em Marrocos, a participada da Telefónica Móviles e da PT, superou, em três anos, os dois milhões de clientes activos, o que lhe confere uma quota de 43% e alcançou um «cash flow» operacional positivo no final do terceiro trimestre deste ano.

Outras Notícias