Banca & Finanças Tomás Correia: Portugal ao "arrepio das tendências modernas" na economia social
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Tomás Correia: Portugal ao "arrepio das tendências modernas" na economia social

Um dos argumentos de Tomás Correia para avançar com um banco detido por entidades da economia social é a experiência internacional. Ao lado de responsáveis de instituições financeiras do terceiro sector em França e no Quebeque, o presidente do Montepio frisou esse traço distintivo de Portugal.
Tomás Correia: Portugal ao "arrepio das tendências modernas" na economia social
Sábado
Diogo Cavaleiro 26 de fevereiro de 2018 às 22:40

"Em Portugal, vivemos num mundo completamente esquisito e ao arrepio das tendências mais modernas." Esta segunda--feira, ao lado de responsáveis de instituições financeiras do terceiro sector em França e no Quebeque, )

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
JCG 27.02.2018

Mas o banco Montepio não é já detido por uma entidade da economia social? se o banco apresenta algumas fragilidades e andou nos últimos anos a destruir capital lá aplicado pela Associação/ acionista único isso deveu-se à gestão incompetente e irresponsável de T Correia e Melícias.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub