Empresas Travessia Algés-Trafaria justificada por esgotamento da ponte 25 de Abril

Travessia Algés-Trafaria justificada por esgotamento da ponte 25 de Abril

São 155 mil veículos por dia numa ponte que para ter um serviço adequado deveria comportar apenas metade, 75 mil. Esta é a razão pela qual a ponte 25 de Abril está actualmente a operar bem acima da capacidade.
Alexandra Noronha 17 de março de 2008 às 00:25

São 155 mil veículos por dia numa ponte que para ter um serviço adequado deveria comportar apenas metade, 75 mil. Esta é a razão pela qual a ponte 25 de Abril está actualmente a operar bem acima da capacidade.

Um documento da concessionária Lusoponte a que o Jornal de Negócios teve acesso, conclui que quem passa pela 25 de Abril espera, em média, uma hora durante o pico da manhã. Isto significa que a ponte está a 159% da sua capacidade, estimando-se que em 2017 (ano previsto para a inauguração do novo aeroporto de Lisboa) esteja a 190%, o que corresponde a uma média de 2,3 horas de espera para fazer o percurso de pouco mais de dois quilómetros entre Lisboa e Almada.

A Lusoponte já fez várias propostas ao Governo, desde 2000, para a construção de uma travessia Algés-Trafaria, que fecharia a CRIL e os acessos a Lisboa. Recorde-se que, há três anos, quando António Mexia ainda era ministro das Obras Públicas, o responsável disponibilizou-se a negociar com a concessionária uma travessia precisamente em Algés-Trafaria. E parece continuar a ser esse um dos objectivos da empresa, que explora as duas pontes sobre o Tejo.