Turismo & Lazer Unicer inaugura investimento de 20 milhões que impulsiona comércio em Pedras Salgadas

Unicer inaugura investimento de 20 milhões que impulsiona comércio em Pedras Salgadas

A Unicer inaugura terça-feira um investimento de 20 milhões de euros em Pedras Salgadas, que espalhou 12 pequenas casas para alojamento turístico pelo centenário parque termal e está a dinamizar o comércio e restauração locais.
Unicer inaugura investimento de 20 milhões que impulsiona comércio em Pedras Salgadas
Paulo Duarte/Negócios
Lusa 17 de julho de 2013 às 10:54

Depois de boicotes às eleições, manifestações e petições públicas em defesa da dinamização do parque termal, o presidente da junta de freguesia local, Rui Sousa, disse hoje à agência Lusa que o Pedras Salgadas Spa & Nature Park "se transformou numa mais-valia" para esta localidade do concelho de Vila Pouca de Aguiar.

 

O Pedras Salgadas Spa & Nature Park é um conjunto turístico, onde o alojamento se faz em 12 'eco-houses', pequenas casas construídas em madeira e ardósia, constituídas por oito módulos que foram instaladas contornando a natureza, para que não fosse abatida nenhuma árvore.

 

O projecto é da autoria do arquiteto Luís Rebelo de Andrade.

 

Maria José David, gestora do SPA, referiu que em construção estão duas "trees houses", ou seja, casas de uma menor dimensão colocadas em cima das árvores.

 

O investimento de 20 milhões de euros incluiu ainda a recuperação do antigo balneário termal, que foi transformado em SPA pela mão do arquitecto Siza Vieira, bem como a reconversão do edifício do antigo casino para a realização de eventos, congressos e festas privadas.

 

As 20 antigas garagens, na entrada do parque, foram reconvertidas em lojas que serão concessionadas para venda de produtos regionais, como artesanato ou mel.

 

Maria José salientou ainda o trabalho de colaboração com a vila. É que os clientes podem comprar directamente ou encomendar aos comerciantes locais refeições, produtos de mercearia ou até pão, que serão entregues directamente nas unidades de alojamento.

 

Para Rui Sousa, presidente da junta de Bornes de Aguiar, onde Pedras Salgadas está inserida, "valeu a pena lutar".

 

Depois da reabertura do parque termal em 2010, a população local reivindicava a conclusão do projeto inicial, que previa a reconstrução de um hotel com 120 quartos.

 

Agora, o autarca mostra-se satisfeito com as "eco-houses", reconhecendo que o hotel tradicional "não iria ter a pujança e o sucesso que está a ter esta nova valência".

 

"Ninguém nos garante que a construção do hotel de cinco estrelas inicialmente previsto viesse a ter êxito. Nós vemos o que se passa à nossa volta, não há turistas para este tipo de turismo", frisou.

 

Rui Sousa acredita que o novo conceito vai "trazer mais desenvolvimento" a Pedras Salgadas e diz que o movimento já se sente na localidade.

 

"Os turistas e aquistas encomendam as suas refeições nos nossos restaurantes, vêm-se também muitas pessoas a vir ao supermercado comprar mantimentos para confeccionarem as suas refeições dentro das instalações. De alguns meses a esta parte vê-se claramente que há mais movimento", salientou.

 

O autarca afirmou que é preciso "dar a mão à palmatória e reconhecer que foi uma boa solução".

 

O projecto de investimento da Unicer em Trás-os-Montes e Alto Douro, que integra a modernização e recuperação dos Parques de Vidago e Pedras Salgadas, ascende a 80 milhões de euros.