Telecomunicações Vendas de smarthphones caem pela primeira vez

Vendas de smarthphones caem pela primeira vez

A Huawei e a Xiaomi foram as únicas marcas que apresentaram um crescimento. Superando outras grandes marcas como a Samsung e a Apple.
Vendas de smarthphones caem pela primeira vez
Reuters
Raquel Murgeira 22 de fevereiro de 2018 às 14:01

Os smarthphones sofreram a primeira queda de sempre nas vendas durante o quatro trimestre de 2017.

Segundo um relatório apresentado pela Gartner, uma consultora ligada à área das tecnologias de comunicação, as vendas globais de smartphones totalizaram quase 408 milhões de unidades no quarto trimestre de 2017. O que representa uma queda de 5,6% em relação ao quarto trimestre de 2016.

São dois os factores apontados pelo director de análise do Gartner, Anshul Gupta, para este declínio. Primeiro, as actualizações dos telemóveis diminuíram devido à ausência de smartphones de qualidade a baixo preço no mercado, o que leva os compradores a obter telemóveis com mais qualidade e mais caros. Em segundo lugar, isto leva os utilizadores a manter os telemóveis por mais tempo, prolongando o ciclo de substituição dos smartphones, salienta o responsável. Além destes factores, o director de análise acrescenta ainda que enquanto "a procura por alta qualidade do aparelho, por conectividade 4G e por melhores características da câmara fotográfica permaneceram fortes, as altas expectativas e a pouca resposta a estes requisitos enfraquece as vendas de smartphones".

A Samsung mantém o primeiro lugar de vendas no quarto trimestre de 2017, com mais de 74 milhões de unidades vendidas, o que representa uma quota de mercado de 18,2%. A marca viu assim um decréscimo de 3,6 % nas vendas mas isso não impediu que se mantivesse como o fornecedor n.º1 de smartphones.

Por sua vez, a aparecer em segundo lugar na tabela de vendas, a Apple manteve a quota de mercado estável face ao quarto trimestre de 2016, situando-se nos 17,9% e vendendo cerca de 73 milhões de unidades. No entanto, as vendas de iPhone caíram 5%. Apesar disto, a marca espera que uma "boa procura pelo iPhone X" possa aumentar as vendas já no primeiro trimestre de 2018, adianta Anshul Gupta.

Em terceiro lugar na tabela está a Huawei. As vendas da marca cresceram 7,6%, o que representou uma quota de mercado de 10,8%, com vendas superiores a 43 milhões de unidades. Um crescimento que se explica pelos lançamentos de novos modelos. Acrescenta o director de pesquisa do Gartner, Anshul Gupta que, "as oportunidades de crescimento para a Huawei residem em ganhar quota de mercado na Ásia/Pacífico (APAC) e nos EUA".

A crescer fechou também a Xiaomi, tendo sido mesmo a marca que mais cresceu. As vendas aumentaram 7,9%no quarto trimestre de 2017 para mais de 28 milhões de unidades, o que representou uma quota de mercado de 6,9%. Esta marca tem beneficiado de um "portefólio competitivo", o que ajudou a marca a fortalecer-se em vários países, sendo que, "o maior mercado da Xiaomi fora da China é a Índia, onde continuará a crescer. O aumento das vendas na Indonésia e outros mercados emergentes posicionará a Xiaomi como uma forte marca global" afirma o director de análise do Gartner.


Em 2017, as vendas de smartphones totalizaram-se em mais de 1,5 mil milhões de unidades, um aumento de 2,7% face a 2016. Apesar disso, o quarto trimestre de 2017 é o primeiro declínio de vendas de smartphones desde 2004, altura em que a empresa começou a compilar estes dados.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 27.03.2018

Os preços são proibitivos... um Iphone 7 cá custa 649€, nos EU custa 545USD isto em Euros é menos de 500€. Só compra equipamentos em Portugal quem fôr masoquista...

Anónimo 22.02.2018

Mas só podia! são caríssimos para durar cerca de 2 anos, Após esse período é só problemas...

pub